Aroeira, o novo gin potiguar

Publicação: 2019-11-14 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O gin é uma bebida destilada clássica que nos últimos anos voltou a ser badalada nos cardápios mundiais, e que recentemente ganhou um legítimo representante potiguar: o Aroeira Gin nasceu em São Miguel do Gostoso, foi lançado em setembro, e já começa a causar comoção nos paladares que apreciam essa iguaria aromática.

O “moginto” é uma versão do mojito com suco de limão, água com gás, açúcar, hortelã, e gin Aroeira
O “moginto” é uma versão do mojito com suco de limão, água com gás, açúcar, hortelã, e gin Aroeira

Uma mistura de referências deu origem ao gin potiguar, segundo Carlos Sérgio Moura, um dos criadores. “Em 2017, numa festa de casamento, provei um gin francês que marcou meu paladar. No ano seguinte alugamos um restaurante em São Miguel do Gostoso que tinha muitos pés de aroeira, de onde sai a pimentinha rosa. Pensei que seria um belo ingrediente pra um gin, e fui atrás de realizar”, conta.

O advogado e estudante de gastronomia Rodrigo Calazans foi o responsável pela alquimia que incorporou a pimenta rosa ao gin. “É a pimenta mais perfumada de todas, mais aromática do que ardida. E bastante valorizada na alta gastronomia. É vendida a peso de ouro lá fora”, ressalta. Foram oito meses de pesquisas e experimentações até chegar à receita final. A destilação ficou a cargo de Ewerton Batista, que trouxe a experiência dos engenhos de Ceará-Mirim.

Carlos Sérgio, Rodrigo Calazans e Ewerton Batista combinam experiências na criação do gin potiguar
Carlos Sérgio, Rodrigo Calazans e Ewerton Batista combinam experiências na criação do gin potiguar

O gin de aroeira tem teor alcoólico de 45% e, segundo Rodrigo, ressalta os sabores cítricos e florais, e o aroma típico da pimenta rosa. “A aroeira é tão aromática que leva isso para a boca de quem prova a bebida”, diz. O gin é feito à base do álcool de cereal, que não tem cheiro e é mais neutro que os outros, e destaca o zimbro, a fruta que é obrigatória na composição de qualquer gin. A bebida foi criada na Holanda do século 17 e foi pensada inicialmente como um remédio.

Apesar do pouco tempo no mercado, o Aroeira Gin já andou exercitando a imaginação dos mixologistas nos eventos e bares por onde já passou desde setembro. “Há quem beba gin puro, mas para o nosso clima, os drinques refrescantes são os melhores”, afirma Carlos Sérgio. Já há combinações com reduções de maracujá e manga que estão fazendo sucesso. Outra criação do grupo é o “moginto”, uma versão do mojito, com suco de limão, água com gás, açúcar, hortelã, e gin.

Aroeira Gin sai em garrafas de 400ml e 750ml, à venda por encomenda ou nos restaurantes de Gostoso
Aroeira Gin sai em garrafas de 400ml e 750ml, à venda por encomenda ou nos restaurantes de Gostoso

O Gin de Aroeira sai em garrafas de 400ml (R$35) e 750ml (R$60), e por enquanto pode ser encontrado apenas nos bares e restaurantes de São Miguel do Gostoso, além do Afetuoso Café, que é o distribuidor da marca por lá. Os interessados também podem encomendar pelo Instagram da marca, @aroeiragin. “Por se tratar de um produto feito artesanalmente, não podemos arriscar uma produção muito grande e não dar conta de atender”, afirma Carlos Sérgio, mesmo assim ressaltando que há planos futuros de aumentar essa produção. Um supermercado está nos planos da bebida.

Serviço:
Aroeira Gin. Disponível nos bares e restaurantes de São Miguel do Gostoso. Encomendas pelo @aroeiragin






continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários