Arquitetura do RN perde Marconi Grevi, o idealizador da Catedral de Natal

Publicação: 2021-02-24 00:00:00
Um dos mais renomados arquitetos do Rio Grande do Norte, Marconi Grevi, morreu nessa terça-feira (23), aos 76 anos, em Natal. A causa da morte não foi divulgada pela família. Grevi foi sepultado no final da tarde dessa terça-feira no Cemitério do Alecrim. O  trabalho mais emblemático na capital potiguar desenvolvido por Marconi Grevi, entre o final dos anos 1970 e 1980, é a Catedral Metropolitana, na Avenida Deodoro da Fonseca. Ele também se destacou como escultor, pintor e tapeceiro. Outro grande projeto de Grevi foi o Shopping Via Direta, na BR-101 Sul.

Créditos: Glauce Lilian / CedidaO criador e a obra: Marconi Grevi, em visita à Catedral Metropolitana de Natal, sua obra-primaO criador e a obra: Marconi Grevi, em visita à Catedral Metropolitana de Natal, sua obra-prima

Ao longo da carreira, Grevi  foi professor de Edificações do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), na época ETFRN, e na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Em 1963, foi morar em Recife para fazer faculdade, onde concluiu seu curso em 1969. A construção da catedral, sua obra mais marcante, foi iniciada em em 21 de junho de 1973 e inaugurada em 21 de novembro de 1988.  As principais características da obra são os grandes vãos livres, uso abundante de balanços. 

Em nota, Dom Jaime Vieira Rocha, arcebispo metropolitano de Natal, lamentou a morte de Marconi Grevi. “Na Catedral de Natal, vemos eternizado o estilo de um homem que soube conciliar, com arte, a mística cristã católica e a experiência existencial da pessoa humana. Os traços que dão forma à Catedral evocam a imagem bíblica da tenda de Deus armada em meio às casas dos homens. Em espírito de comunhão, renovada pela confiança na Ressurreição e com sentimentos de gratidão por tudo que de Marconi Grevi recebeu, a Arquidiocese de Natal roga ao Deus de Misericórdia e Pai de toda consolação que acolha este seu filho na Pátria Celeste”, escreveu o arcebispo.

Outra entidade que lamentou a morte de Marconi Grevi foi o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio Grande do Norte (CAU/RN). “O CAU/RN lamenta o falecimento do arquiteto e urbanista Marconi Grevi, um dos pioneiros da arquitetura do Rio Grande do Norte. Referência no segmento, Grevi foi professor na antiga ETFERN, atual IFRN, e na UFRN. Além de arquiteto e professor, Marconi Grevi se destacou nas artes como pintor, escultor e tapeceiro. Entre seus feitos na arquitetura, o destaque para a Catedral Metropolitana. Nesse momento de dor, o Conselho se solidariza com a família e amigos".

Catedral
A confecção do projeto da atual Catedral Metropolitana de Natal foi realizada, tendo como base o princípio da funcionalidade, que define que uma Igreja “é bem sucedida se estiver completamente a serviço do culto e se der a esse mesmo culto beleza e intrínseca sacralidade".

O primeiro projeto para a nova Catedral apresentava uma igreja em forma de cruz, que logo foi descartada pela pouca capacidade de acomodação dos fiéis. O novo projeto deu condições para que a Catedral Metropolitana acomodasse 3 mil pessoas sentadas. Foi então que Marconi Grevi realizou o projeto arquitetônico, contando com o projeto estrutural do engenheiro José Pereira da Silva.

A planta da Catedral Metropolitana possui forma trapezoidal, tendo dois pavimentos: a nave, que é um vão único, onde acontecem as celebrações litúrgicas; o subsolo, onde funciona o Centro Pastoral Pio X, o gabinete do Arcebispo, a Cúria Metropolitana, a Reitoria da Catedral, além da coordenação de diversas pastorais.

O acesso ao Centro Pastoral se dá pela Av. Floriano Peixoto. Ainda no Centro Pastoral, exatamente sob o altar principal na Catedral, localiza-se a Capela do Santíssimo Sacramento, abençoada por São João Paulo II, durante a visita que fez ao Brasil por ocasião do XI Congresso Eucarístico Nacional, em outubro de 1991.