Arrecadação fiscal no RN cai 15% no mês de junho, diz SET

Publicação: 2020-07-07 00:00:00
O recolhimento de impostos no Rio Grande do Norte registrou a quarta queda consecutiva desde o início dos primeiros casos do novo coronavírus (Covid-19). Em junho, o Estado arrecadou R$ 79 milhões a menos em relação ao recolhido no mesmo período do ano passado. Isso representa uma redução de 15% no total de tributos recolhidos. O percentual é menor que o verificado em maio deste ano: 18,3%. Agora em junho, a arrecadação total do Estado foi de  R$ 442 milhões, ante R$ 521 milhões do mesmo mês de 2019. A perda foi puxada, principalmente, pela redução no recolhimento de ICMS, que no mês passado atingiu recorde de 18%. 

saiba mais

Os dados foram publicados na sétima edição do Boletim Semanal da Atividade Econômica, divulgada nesta segunda-feira (6) pela Secretaria Estadual de Tributação (SET-RN). A publicação reúne informações sobre os principais indicadores das operações comerciais realizadas no estado.  O objetivo do informativo é acompanhar semanalmente os impactos das medidas de combate à pandemia da Covid-19 na economia potiguar. O boletim traz O material está disponível para download no site da SET-RN.

Os dados do boletim mostram a arrecadação do IPVA teve alta, passando de R$ 54,6 milhões para R$ 59,7 milhões (+9%), enquanto o ITCD registrou uma baixa, caindo de R$ 1,3 milhão para R$ 1,2 milhão (-2). Mas a principal influência na arrecadação foi o ICMS, que encolheu 18%. O volume recolhido desse imposto em junho foi de R$ 381 milhões, porém, no referido mês do ano passado, o montante foi de R$ 465 milhões, impactando diretamente na arrecadação global do RN. Em abril de 2020, o recolhimento de tributo caiu 14% e, em maio, 16%.

Com esse resultado até então, junho de 2020 fica marcado como o mês em que houve o menor recolhimento de ICMS desde o início da pandemia e da implantação das medidas restritivas.

No acumulado de março a junho, a arrecadação somou R$ 1,592 milhão este ano, ante R$ R$ 1,818 milhão no mesmo período de 2019. A perda de ICMS foi de R$ 226 milhões (-12,43%).  Comparando a arrecadação nos meses de março e de junho deste abril, a perda foi de 13,8%, menos R$ 61 milhões.

Setores 
Setorialmente, o maior aumento foi no comércio atacadista que saiu de uma arrecadação de R$ 70 milhões, em maio, para R$ 88 milhões, seguido da indústria de transformação que passou de R$ 41 milhões para R$ 54 milhões de um mês para outro. Já a arrecadação do varejo variou de R$ 60 milhões para R$ 72 milhões. O setor de combustível subiu de R$ 77 milhões para R$ 81 milhões. A exceção ocorreu no setor de energia, que sofreu uma redução drástica de R$ 71 milhões para R$ 28 milhões. O segmento de comunicação continuou estável com arrecadação de R$ 23 milhões. 

Número de operações
“Após queda acentuada do movimento econômico a partir da última semana do mês de Março, percebe-se uma lenta recuperação na economia potiguar a partir do mês de Maio“, aponta a SET. Especificamente na última semana de análise (22 a 28 de Junho), o boletim aponta uma redução de 4,38% do volume transacionado pelas empresas do RN em relação à semana imediatamente anterior, alcançando patamar de R$ 257,18 milhões em operações diárias. A semana anterior (15 a 21 de Junho) foi a melhor semana para o conjunto das empresas potiguares, quando o volume de transações alcançou R$ 269 milhões em operações diárias no período após a pandemia, superando inclusive o mesmo período do ano anterior. 

A quantidade de documentos fiscais emitidos chegou, conforme dados da SET, a aproximadamente 816 mil emissões/dia na semana compreendida entre 22 e 28 de Junho. No mesmo período do ano passado, esse volume atingiu 966 emissões/dia. Na última semana de março deste ano, o volume foi de R$ 675 emissões/dia.  

Arrecadação no RN
Valor total recolhido de ICMS no RN, durante o mês de junho puxou retração 

Comparativo de arrecadação do ICMS
Créditos: Divulgação


Comparativo de arrecadação do ICMS
Créditos: Divulgação








Leia também: