Ataque à democracia

Publicação: 2014-03-30 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Sara Vasconcelos - Repórter

Há cinquenta anos, o Congresso Nacional dava fim ao governo do presidente João Goulart, abrindo caminho para um golpe na tumultuada democracia brasileira. O regime militar durou 21 anos, levou medo, espalhou pânico e patrocinou cenas de selvageria nos porões da Ditadura.

Em Natal, os militares agiram rápido. Ocuparam o Palácio Felipe Camarão, prenderam o prefeito e o vice e adotaram medidas para sufocar qualquer tentativa de resistência à deposição de Jango. Pela primeira vez na história, o RN tinha mulheres atrás das grades, acusadas de atividades ‘subversivas’.

Arquivo31 de março de 1964...50 anos depois31 de março de 1964...50 anos depois

Vozes da resistência

Pra não dizer que não falei das flores - Geraldo Vandré

Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Somos todos iguais
Braços dados ou não
Nas escolas, nas ruas
Campos, construções
Caminhando e cantando
E seguindo a canção

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer

Pelos campos há fome
Em grandes plantações
Pelas ruas marchando
Indecisos cordões
Ainda fazem da flor
Seu mais forte refrão
E acreditam nas flores
Vencendo o canhão

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer

Há soldados armados
Amados ou não
Quase todos perdidos
De armas na mão
Nos quartéis lhes ensinam
Uma antiga lição
De morrer pela pátria
E viver sem razão

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer

Nas escolas, nas ruas
Campos, construções
Somos todos soldados
Armados ou não
Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Somos todos iguais
Braços dados ou não

Os amores na mente
As flores no chão
A certeza na frente
A história na mão
Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Aprendendo e ensinando
Uma nova lição

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer...

continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários