Atleta potiguar volta a subir no pódio em Dubai

Publicação: 2019-11-15 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O saldo desta quarta-feira, 13, sétimo dia do Mundial de Atletismo em Dubai, foi de três ouros, duas pratas e três bronzes para o Brasil. Mais uma vez a atleta potiguar Thalita Simplício, correndo com o guia Felipe Veloso subiu ao pódio para comemorar o segundo lugar na prova  A competição é realizada no Dubai Club for People of Determination desde a quinta-feira, 7. A Seleção Brasileira conta com 43 competidores entre os 1.400 inscritos de 120 países no Mundial de Dubai, que segue até esta sexta-feira, 15.

Potiguar Thalita Simplício fez uma prova de recuperação e chegou décimos atrás da atleta chinesa
Potiguar Thalita Simplício fez uma prova de recuperação e chegou décimos atrás da atleta chinesa

Faltando dois dias para o fim da competição, o Brasil ocupa a segunda colocação no quadro-geral de medalhas, com 12 ouros, oito pratas e 13 bronzes. Superado apenas pela China, com 23 ouros, 19 pratas e nove bronzes. A terceira colocada é a Ucrânia, com nove ouros de um total de 19.

Na provas dos 200 metros feminino, o Brasil foi para pista com chance de conquistar mais de uma vaga no pódio, afinal três brasileiras estavam na pista: Jerusa Geber (guiada por Gabriel Garcia), Lorena Spoladore (Renato Benhur) e Thalita Simplício (Felipe Veloso). Contra elas a chinesa Cuiqing Liu, que já havia sido derrotada por Thalita na final dos 400m e por Jerusa, nos 100m.

Dessa vez, no entanto, Liu mostrou superioridade. Após a largada, assumiu a dianteira com folga, mas quando parecia que ia ganhar com facilidade, Thalita e Felipe chegaram fortes e só não tiraram o ouro da chinesa por uma diferença de três centésimos. Liu cruzou a linha de chegada em 24s89, contra 24s92 de Thalita. A terceira colocação seria de Jerusa, porém a arbitragem entendeu que houve interferência de Gabriel Garcia na corrida da atleta do Acre na saída da curva e a dupla foi desclassificada. Melhor para Lorena e Renato, que herdaram o bronze.

O ouro que encerrou a jornada do dia veio de forma surpreendente no lançamento de disco da classe F37 (paralisados cerebrais). João Victor Teixeira encaixou o sexto e último lançamento a 52,76m e subiu da quarta posição para a liderança, suplantando de uma só vez o paquistanês Ali Haider e o australiano, que empatavam na primeira colocação até então com exatos 51,43m.

“Cheguei ao último lançamento na quarta colocação e tinha acabado de queimar a quinta tentativa. Falei com o treinador (João Paulo Alves) que orientou a mudar o posicionamento e não deu outra. Eu só ouvi a gritaria dos amigos na delegação”, comemorou o lançador que é de Curicica, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

 O ouro não foi a primeira medalha de João Victor em Dubai. Ele herdou o bronze no arremesso de peso da classe F37. A prova foi realizada no sábado, segundo dia de Mundial, e o atleta do Rio de Janeiro havia terminado em quarto lugar.





continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários