Esportes
Atletas potiguares buscam recursos para mundial de flag football
Publicado: 00:00:00 - 25/11/2021 Atualizado: 09:30:44 - 25/11/2021
Dois atletas do Rio Grande do Norte estão em busca do apoio da torcida do Estado para realizar um sonho: disputar um campeonato mundial. Esse é o caso da dupla Bruno Sousa e Renato Munford, que foram convocados pela Seleção Brasileira para disputar o mundial de Flag Football, que vai acontecer no mês de dezembro em Israel. Oriundos de um esporte amador e sem patrocínios, eles criaram uma rifa e buscam apoio para ajudar no custeio da viagem.

ALEX REGIS
A dupla Bruno Sousa e Renato Munford foi convocada pela Seleção Brasileira para o mundial

A dupla Bruno Sousa e Renato Munford foi convocada pela Seleção Brasileira para o mundial


Eles são os únicos atletas da região Nordeste na Seleção Brasileira. A dupla do Bulls Potiguares desempenha funções diferentes em campo. Bruno atua como defensive back, é um dos responsáveis por conter os avanços do ataque adversário, enquanto Renato é wide receiver, tem a função de receber os passes do quarterback e avançar até a endzone em busca do touchdown.

Após várias convocações para treinamentos e cortes de atletas até a lista final, a seleção brasileira masculina se prepara para estrear em campeonatos mundiais, feito histórico para o Brasil, que tem na sua seleção feminina uma das principais forças do esporte, ocupando atualmente a sexta posição no ranking mundial.

Campanha
Pela importância da competição, que acontecerá de 6 a 8 de dezembro em Israel, Bruno e Renato iniciaram uma campanha para levantar recursos que possam auxiliar no custeio da viagem. Sem contar com apoio e patrocinadores, eles recorreram a parcerias com empreendedores locais que colocaram seus serviços à disposição para ajudar na captação de recursos. Quem quiser ajudar pode buscar informações no perfil do Instagram "@bullsflagfootball".

“Nós estamos chamando de rifa, mas funciona da seguinte forma: um colega da gente que faz tatuagem, nos deu o direito de vender três tatuagens. A pessoa compra com a gente e vai lá fazer a tatuagem. Como o dinheiro não está fácil, nós estamos vendendo de tatuagens a voucher que dá direito a tomar algumas caipirinhas em uns bares. O problema é que tudo se torna muito caro, ainda mais que as taxas internacionais cobradas das seleções, possuem como moeda base o Euro”, explicou Renato Munford em entrevista à TN.

O Mundial será disputado entre os dias 6 e 8 de dezembro, em Israel. Os repasses realizados pela Confederação Brasileira de Futebol Americano, servem apenas para ajudar a abater os valores das taxas internacionais.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte