Cookie Consent
Natal
Atropelamento de cadela gera indignação e denúncia no interior do RN
Publicado: 18:20:00 - 18/05/2022 Atualizado: 18:27:43 - 18/05/2022
Maria Clara Pimentel
Repórter

Uma cadela de rua de seis a sete meses de idade foi atropelada e morta na manhã desta quarta-feira (18), por volta das 8h, em São João do Sabugi. Testemunhas viram o motorista passar por cima do cachorro, podendo pelo espaço e velocidade ter desviado, o que causou um movimento de indignação no município. Na tarde desta quarta, registraram uma denúncia na Delegacia de Plantão (DP) de Caicó. O suspeito foi ouvido e liberado.

Cedida
Cadela foi atropelada e morta na manhã desta quarta (18) em São João do Sabugi; o caso gerou indignação de parte da população

Cadela foi atropelada e morta na manhã desta quarta (18) em São João do Sabugi; o caso gerou indignação de parte da população


A agricultora Maria de Lourdes Araújo, mais conhecida como Nina, estava presente no momento da fatalidade. Ela disse que o cachorro estava deitado no meio da rua, na esquina de uma mercearia. “A pessoa vinha da avenida principal fazendo a curva. De onde ele enrolou para entrar [na rua], ele tinha a visão do cachorro, mas passou por cima. Não sei se foi proposital, mas ele poderia ter evitado”, comentou a trabalhadora.

O que surpreendeu a população de São João do Sabugi também foi a frieza do motorista, que estacionou metros à frente para trabalhar em seu comércio. Quem foi dar assistência ao cachorro foi Nina e uma amiga, que estavam no local. “Ele saiu do carro um pouco mais na frente, foi para dentro do mercado. Não prestou socorro, não fez nada”, afirmou a agricultora.

Defesa dos animais

Tatiana Lucena, assistente social, faz parte de um grupo voluntário de defesa dos animais de São João do Sabugi. De acordo com ela, são frequentes os casos de violência contra os animais no município do Seridó potiguar. “Temos leis de amparo aos animais, mas mesmo assim eles continuam nas ruas, continuam sendo envenenados, atropelados, baleados, com frequência”, explicou a sabugiense.

Foram acionadas, segundo Tatiana Lucena, a Polícia Militar e a Polícia Ambiental. As testemunhas se dirigiram à delegacia de plantão de Caicó na tarde desta quarta (18) para fazer a denúncia a policiais civis.

O motorista que atropelou a cachorra chegou a ser conduzido ainda durante a tarde para a delegacia. Lá, a autoridade policial que ouviu o suspeito entendeu que não existiam “elementos contundentes para a lavratura de flagrante”.

A Polícia Civil disse também que um procedimento será instaurado e que outras pessoas serão ouvidas.

Legislação

No Estado, há uma legislação que institui o código de defesa e proteção aos animais do RN (n° 10.831/2021). O seu artigo 2° veda a agressão física ou psicológica aos animais, “sujeitando-os a qualquer tipo de experiência, prática ou atividade capaz de causar-lhes sofrimento ou dano, bem como as que provoquem condições inaceitáveis de existência”.

Após o atropelamento da cachorra em São João do Sabugi, testemunhas disseram que ela só conseguiu andar mais alguns metros e não resistiu. A morte da cadela pode render ao motorista desde uma advertência até uma multa de 500 salários mínimos.

Em nível municipal, São João do Sabugi também tem a lei n° 758/2018, sancionada no mesmo ano, que trata da política de controle de natalidade de cães e gatos do município. No seu artigo 7°, a legislação diz que “as cadelas ou gatas, com filhotes ou no cio abandonadas em cias ou logradouros públicos, serão capturadas, castradas, vermifugadas e doadas”. 

A cachorra vítima de atropelamento na manhã desta quarta (18) se incluía nessa definição, mas não tinha residência, o que a deixou em situação de maior vulnerabilidade, nas ruas.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte