Auditores e bombeiros fiscalizam lojas em Natal

Publicação: 2020-06-07 00:00:00
A+ A-
As polícias Militar e Civil e o Corpo de Bombeiros realizaram ações no centro comercial do Alecrim, na orla da Praia do Meio e em Pium, em Parnamirim, neste sábado, 6, para orientar a população sobre as medidas de distanciamento social e fechar estabelecimentos proibidos de funcionar. Segundo a Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesed), outras cidades da Grande Natal, como São Gonçalo do Amarante e Extremoz, também receberam ações semelhantes.


Créditos: Alex RégisAção ocorreu dentro do programa Pacto pela Vida montado pelo Governo do Estado para ampliar os índices de isolamento socialAção ocorreu dentro do programa Pacto pela Vida montado pelo Governo do Estado para ampliar os índices de isolamento social

O secretário estadual de Segurança Pública do Rio Grande do Norte, coronel Francisco Araújo, afirmou neste sábado, 6, que a fiscalização das medidas de distanciamento social realizada pelas forças de segurança do Estado vai continuar “até que o isolamento social seja cumprido por pelo menos 60% da população”. As ações começaram na última quinta-feira, 4, em Natal e se estenderam por municípios da Grande Natal até este sábado. Os locais de fiscalização, segundo Araújo, são determinados de acordo com o monitoramento do Comitê Técnico da Secretaria de Saúde e da ferramenta Tô de Olho, do Ministério Público do Rio Grande do Norte. A ferramenta recebe denúncias de aglomerações.

Apesar da ação de fiscalização, a adesão ao distanciamento social permaneceu em 40% em Natal no primeiro dia do decreto de isolamento social mais rígido, segundo dados geográficos da empresa InLoco. A adesão é medida a partir dos dados enviados pelos georreferenciadores dos celulares.
A Secretaria de Estado de Tributação e o Procon participaram da ação no Alecrimn neste sábado, 7. O bairro foi o primeiro a receber uma fiscalização mais dura, estabelecida a partir do decreto do dia 4, por causa das aglomerações frequentes no centro comercial. Na quinta-feira, tumultos foram gerados por comerciantes que discordaram em fechar os estabelecimentos.

No dia seguinte à ação, muitas lojas do bairro de serviços não essenciais voltaram a abrir, causando grande circulação de pessoas. A Polícia Militar não esteve presente no local, segundo Francisco Araújo, porque fazia ações focadas no centro comercial da Cidade Alta. “Mas vamos continuar no Alecrim até que a situação se estabeleça e o isolamento social cresça”, afirmou.

A fiscalização no centro comercial deste sábado exigiu do comerciante a apresentação dos projetos aprovados pelo Corpo de Bombeiros com a descrição das atividades desenvolvidas pelo estabelecimento. Quem não apresentou documento precisou fechar a loja, informou o vice-presidente da Associação de Empresários do Bairro do Alecrim (AEBA), Matheus Feitosa. Quem alterou o documento nos últimos cinco meses também precisou fechar.

Em Pium e na orla, a fiscalização foi para identificar possíveis descumprimentos do decreto. O secretário de segurança, Francisco Araújo, afirmou que os locais que recebem as ações de fiscalização são determinados a partir de informações do Comitê Técnico da Secretaria de Saúde Pública e da plataforma Tô de Olho, do Ministério Público do Estado (MPE), que recebe denúncias de descumprimento.

Cremern emite alerta
O Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Norte (Cremern) emitiu uma nota de alerta neste sábado, 6, sobre os riscos da “automedicação, do sensacionalismo e da autopromoção nesse momento delicado de pandemia”. A nota foi emitida um dia depois da Secretaria Municipal de Saúde de Natal incluir a ivermectina no protocolo médico para tratar do novo coronavírus. O  Cremern desaconselha  o uso de qualquer medicamento de forma automedicada. “É esperado que o momento de pandemia produza insegurança em toda população. No entanto, devemos preservar os princípios básicos do cuidado com a saúde, inicialmente através das medidas preventivas e caso apresente sintomas, procurar assistência médico para um correto diagnóstico e tratamento”, diz a nota.


Deixe seu comentário!

Comentários