Esportes
Aumento dos casos de covid-19 fez organização repensar a cerimônia
Publicado: 00:00:00 - 22/07/2021 Atualizado: 22:42:59 - 21/07/2021
Os organizadores dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 prometem uma abertura sóbria, mas bela como exige a estética japonesa. O motivo para a escolha é a pandemia. Com o crescimento de casos no Japão, a competição, que já começou na prática, está sendo disputada sobre a sombra da desconfiança e o medo dos anfitriões por um descontrole total dos casos de covid-19 no País. A cerimônia será realizada nesta sexta-feira (23) às 8h (horário de Brasília), com transmissão ao vivo pela TV Globo, Sportv e BandSports.

Miriam Jeske/cob
Bruninho levará a bandeira do Brasil em cerimônia de abertura das olimpíadas

Bruninho levará a bandeira do Brasil em cerimônia de abertura das olimpíadas


Em vez de 10 mil atletas marchando em um estádio lotado, como sempre, o desfile das equipes será menor, em um estádio Olímpico de Tóquio praticamente vazio, exceto por algumas centenas de autoridades, e com rígidas regras de distanciamento social.

A participação brasileira já está organizada. O vôlei brasileiro estará representado em grande estilo na cerimônia de abertura, em Tóquio. A modalidade terá o levantador Bruninho como um dos porta-bandeiras do Brasil ao lado da judoca medalhista olímpica, Ketleyn Quadros. 

Em sua quarta edição dos Jogos e dono de três medalhas olímpicas, Bruninho destaca que sua função, neste momento, é coletiva. “Sinto uma emoção muito grande. É algo grandioso. É uma honra sem dúvida, mas me sinto um mero representante de tudo o que o voleibol simboliza para o povo brasileiro, de dedicação, garra, trabalho em equipe. É difícil descrever em palavras o que estou sentindo neste momento”, disse o levantador e capitão da seleção brasileira de vôlei.

Apesar de emocionado com o convite, Bruninho acredita que ainda não tenha processado exatamente a dimensão do papel que irá cumprir na próxima semana. “Acho que a ficha ainda não caiu. Acredito que só ali, no momento, que vou entender melhor. Sei que vai ser muito especial e marcante para a minha vida. Na hora que recebi o convite foi rápido de aceitar. Para nós, para o voleibol, é um momento muito marcante e apesar de ter a partida no dia seguinte, fizemos de tudo para que isso acontecesse”, afirmou Bruninho.

O jogador da seleção brasileira recebeu o convite, aceitou e precisou manter sigilo. Somente após o anúncio nesta noite, Bruninho falou sobre a honra de receber o convite. “Tenho recebido muitas mensagens desde o anúncio, todo mundo muito emocionado e aí vamos começando a perceber o tamanho dessa responsabilidade. Espero que as pessoas se sintam representadas por mim e pela Ketleyn e nós dois consigamos representar o nosso povo, que precisa de alegrias, esperança e que se espelham nas histórias que o esporte apresenta”, disse Bruninho.

O técnico da seleção, Renan, conta como recebeu o convite. “Quando o COB nos procurou não tive dúvidas de que o Bruno merecia e deveria viver esse momento. Não vai atrapalhar em nada a nossa rotina de treinamentos e é algo absolutamente mágico, que ele está mais do que preparado para encarar. O Bruno é um atleta exemplar, líder de uma geração, uma pessoa sensacional e que representa muito bem o voleibol brasileiro. O Bruninho hoje é o maior vencedor do vôlei mundial e um cara absolutamente merecedor. Vai ser muito especial para todos nós vivenciar esse momento por ele e pelo esporte que faz parte da vida de todos nós”, concluiu Renan.  




Leia também