Natal
Auricélio Costa: Temos água garantida até o próximo inverno
Publicado: 00:00:00 - 28/06/2020 Atualizado: 13:21:15 - 27/06/2020
Como vocês avaliam isso esse aumento do território sem seca no RN?
Esse índice da forma como ele é colocado, indica que reduziu a área de seca, em função de um inverno bom, acima da média. Segundo as previsões, foi 15% acima do ano passado. Essas previsões de chuvas acima da média se materializaram com a redução da área seca e um consequente maior acumulo de água nos reservatórios. Choveu mais, a água escoou e está nas barragens. Do ponto de vista superficial, nós estamos com 56,78% de água nos reservatórios, principalmente naqueles 47 reservatórios acima de bilhões de metros cúbicos. É um percentual muito bom. Ano passado estávamos com 32% nesse período, é um número que vem mostrando uma curva ascendente. Em 2017 tivemos nosso ano de limite e a partir daí começamos a ter invernos melhores e isso vem permitindo a recuperação no volume dos reservatórios, isso do ponto de vista da água superficial. Essas chuvas acima da média colocam maior recarga no lençol freático. Então temos mais água acumulada do ponto de vista superficial, mais água subterrânea acumulada. O bom inverno que caracteriza por renovação de pastagens, uma produção agropecuária melhor. É um cenário bom para o Rio Grande do Norte e também para os demais estados do Nordeste.

Leia Mais

Desses 47 reservatórios monitorados pelo Igarn, observamos que alguns deles até sangraram, como o Dourado. Na avaliação de vocês do Igarn, essas barragens, como a Armando Ribeiro ou o Gargalheiras, estão em boas condições para receberem sangrias? Alguma manutenção específica?
Dentro da inspeção que houve, o que preocupava mais o Igarn e a Semarh era o reservatório de Passagem das Traíras. Esse tinha um laudo que dizia que tinha risco, que se enchesse, se sangrasse, poderia romper. Por isso que a Semarh rompeu a parede para tirar o trecho danificado e refazer a parede. Isso era o que, na nossa avaliação, corria risco de algum sinistro ou arrombamento. Os outros precisam de manutenção, porque são reservatórios feitos entre 20 e 30 anos e precisam de limpeza da parede, um serviço ou outro. Nós e a Semarh estamos tentando viabilizar recursos para fazer esse programa de manutenção. Mas não tem nenhum que inspire medo. Em Umari, em Upanema, apareceram pequenas infiltrações de água no corpo da parede. Nós designamos uma equipe de engenharia para fazer a vistoria. Não há riscos de rompimento. Não há açude com iminência de risco, porém, manutenções de limpeza, correções, a gente precisa fazer.

Nós temos água até quando? Dá para fazer projeções?
Normalmente nós consideramos que a gestão hídrica deva preconizar que, as águas dos reservatórios desse ano tem que nos levar ao inverno do ano seguinte com segurança, principalmente para abastecimento humano. E como a água é de uso múltiplo, tenho que garantir para o abastecimento humano, segundo a questão de criação de animais, vem a irrigação, indústria. A gente tem que garantir que vamos chegar no inverno do ano que vem com água suficiente para receber aporte de água. É o ciclo. O bom planejamento seria de dois anos para frente. Com esse volume de água para hoje temos uma gestão garantida até o inverno do ano seguinte, que todas as previsões apontam que também será um inverno na média. Não será um ano seco. Tem um plano B para isso que são as águas da Transposição do Rio São Francisco, mas a gente nem coloca essas águas na conta porque, quando elas estiverem concretizadas lá na frente, darão mais segurança. Se a gente tem garantia de abastecer a população humana com um plano B, a gente pode usar mais a água na produção. Hoje eu tenho que frear o uso da água na irrigação, na indústria, porque tenho que fazer a água chegar com segurança até o ano seguinte. 

Essa segurança hídrica vale para todo o RN? Ou existe alguma região que inspire mais cuidados?
Existe. Temos a região do Alto Oeste potiguar. Os reservatórios, nessa região, nesses anos de seca, como Pau dos Ferros, estava completamente seco. São Miguel, com problema de abastecimento, vindo buscar água em Santa Cruz do Apodi. Como esses reservatórios esses anos secaram mais, então esse ano, mesmo com essas boas chuvas, eles não recuperaram tudo. A região que inspira mais cuidados hoje é o Alto Oeste. O Seridó já tem grandes reservatórios, tem a Barragem Armando Ribeiro, que você pode aumentar uma adutora. Tem a de oiticica que está sendo feita, vai ser nosso segundo maior reservatório. O Seridó, com essas obras futuras, aquele projeto de adutoras, o Projeto Seridó, que vai integrar as adutoras, vai dar mais segurança. E para o futuro o que a secretaria de recursos hídricos planeja, é aumentar a rede de adutoras para que, com essa rede, a gente não teria o Alto Oeste com cidades em colapso. 


Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte