Avaliação

Publicação: 2019-06-25 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Itamar Ciríaco/ itamar@tribunadonorte.com.br

Esse exercício deve estar sendo feito hoje por aqueles que pensam o América/RN: O que vi de bom e de ruim no jogo diante do América/PE.
Lado Bom:

1 – Classificação – Esse é o fator primordial. Pode cair a casa, mas o time precisa se classificar e deixar a Série D.

2 – União – As imagens do vestiário do América, cedidas pela TV Mecão, mostram um grupo de jogadores unido.

3 – Torcida – Mesmo ao fim do primeiro tempo, quando a situação, em termos de resultado, estava ruim, a torcida aplaudiu. Durante quase todo o jogo os torcedores apoiaram o time e o público foi de quase 10 mil pessoas.

4 – O técnico – Moacir Júnior conhece muito bem o seu elenco. Ao perceber a brecha na esquerda e sentir que Joazi poderia render mais que Vinicius por aquele setor ele inverteu a posição dos alas e reposicionou Róger Gaúcho pela ponta. Resultado, os dois gols começaram em jogadas por lá.

Avaliação
Lado Ruim:
1 – Nervos – O América precisa controlar melhor os nervos. Nos momentos complicados até o “calmo” Moacir Júnior deu show à beira do gramado. Leandro Melo e Adriano Pardal por pouco não se complicam. Dependendo do estilo do árbitro poderiam ter sido expulsos por motivos banais.

2 – Conclusões – O time Alvirrubro precisa concluir melhor. Pela postura tática em campo e por enfrentar rivais, até o momento, que passam a maior parte do tempo se defendendo, o América sempre assume o controle do jogo. Isso lhe dá uma infinidade de oportunidades que estão sendo desperdiçadas, ou no momento da conclusão, ou no passe final. Em outras situações, podem fazer falta.

3 – Auto-elogios – Não gosto muito do ato de se auto-elogiar. Esse tipo de atitude pode, em algum momento atrapalhar, fato que ainda não aconteceu é bem verdade, no América, mas, como diria uma amiga: “Fica a dica”. Por mais de uma vez, o técnico Moacir Júnior, que na minha opinião, tem um trabalho excelente no clube, até o momento, fez questão de enfatizar suas marcas, as vitórias, o quanto ele está fazendo história no Alvirrubro. Acho desnecessário. Todos estamos vendo isso e cabe ao torcedor, dirigentes e mídia especializada, esse reconhecimento.

Números
Atualizando os números após o empate entre Globo e ABC, o site Chance de Gol elevou o risco de rebaixamento do Alvinegro para 87,8%. As chances de classificação estão em 0,2%. O time de Ceará-Mirim aparece com um risco de 22,5% e chances de 7,7% para passar de fase na competição. O time de Roberto Fernandes entra em campo no próximo sábado às 17h, contra o Náutico, em Recife. A equipe de Higor César recebe o Imperatriz no mesmo dia e horário.

Judô
O próximo grande evento de judô em Natal será o Campeonato Brasileiro de Veteranos e Kata. O evento promovido pela CBJ será nos dias 20 e 21 de julho, no ginásio do Complexo Henrique Castriciano-UNI/RN. Paralelo a competição acontecerá o III Encontro dos Kodanshas. "Agradecemos a CBJ por escolher Natal como sede desses dois grandes eventos nacionais que movimentarão não só o judô potiguar como também a economia de nossa cidade, pois receberemos atletas e seus familiares do Brasil inteiro", comemorou Tibério Maribondo, presidente da FJRN.

Palestra
O esporte de alto rendimento exige dos atletas uma dedicação intensa para que os desafios diários possam ser superados. Características dessas modalidades como disciplina e a exaustiva rotina de treinos físicos são marcantes para o praticante. Além disso, a formação inicial dos jovens requer cuidados mais intensos, para não causar problemas de saúde. Nesta sexta-feira (28), às 16h, será realizada a palestra “Como potencializar a energia do atleta e recuperação pós-treino”, proferida por Lilian Lins, nutricionista esportiva, e Ana Paula Cavalcanti, nutricionista pediátrica. O evento é gratuito e será realizado no salão de eventos da PSG Academy. Para participar, é preciso confirmar a presença pelo telefone (84) 3033-1668, pelo WhatsApp (84) 98181-9000 ou pelo site.

Custo alto
Em época de Copa do Mundo Feminina da FIFA, o Cuponation, plataformas de descontos online, reuniu num levantamento a média de tempo, em horas, que um torcedor levaria para fazer a aquisição da camisa da seleção oficial da própria nação, de acordo com o salário mínimo do respectivo país. No levantamento da plataforma, foi considerado que o valor das camisas de cada seleção fosse, ao converter, igualmente o mesmo preço da camisa oficial da seleção brasileira, ou seja, R$249. Ao comparar o preço da camisa da seleção do Brasil com o salário mínimo do país, foi calculado que o brasileiro precisa trabalhar cerca de 40 horas para obter o produto, ficando na 19º posição, dentre as 24, do ranking.

Alto custo 1
Noruega e Camarões tem a maior diferença de tempo trabalhado entre os países pesquisados: 214 horas. Enquanto no país  europeu são necessárias apenas 3 horas de serviço para a compra do item da seleção, no país africano são necessárias cerca de 217 horas de trabalho para adquirir o produto.  No ranking das seleções que precisam trabalhar mais para adquirir a camisa oficial, Nigéria (África) e Jamaica (América do Norte) ocupam o antepenúltimo e penúltimo lugar, com 107 e 92 horas, respectivamente. Em contrapartida, os países que estão em segundo e terceiro na lista das nações que menos precisam passar tempo em serviço são Suécia (Europa), trabalhando somente 4 horas, e Austrália (Oceania), trabalhando 5 horas.






continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários