Balança comercial brasileira tem superávit de US$ 1,6 bilhão na segunda semana de julho

Publicação: 2020-07-14 00:00:00
A+ A-
Brasília (AE) - A balança comercial brasileira registrou superávit comercial de US$ 1,655 bilhão na segunda semana de julho (de 6 a 12). De acordo com dados divulgados nesta segunda-feira (13), pela Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Economia, o valor foi alcançado com exportações de US$ 4,210 bilhões e importações de US$ 2,554 bilhões.

Em julho, o saldo é positivo em US$ 2,975 bilhões até o dia 12, 24,4% maior do que o registrado em todo o mês de julho do ano passado.
Em meio à pandemia do coronavírus, houve queda de 1,3% na média diária das exportações na comparação com o mesmo mês do ano passado, com aumento de 18,7% em agropecuária; queda de 2,6% na indústria extrativa e queda de 8,1% em produtos da indústria de transformação.

Já as importações registraram quedas de 34,7% em produtos da indústria de transformação, 15,6% em agropecuária e de 58,9% em indústria extrativa.

No acumulado do ano, o saldo comercial é superavitário em US$ 25,298 bilhões, 7,6% a menos do que no mesmo período do ano passado.
O valor é resultado de exportações de US$ 108,638 bilhões (-6,6%) e importações de US$ 83,341 bilhões (-6,7%).

Projeções
Os economistas do mercado financeiro alteraram a projeção para a balança comercial em 2020 na pesquisa Focus realizada pelo Banco Central, de superávit comercial de US$ 53,45 bilhões para US$ 54,00 bilhões. Um mês atrás, a previsão era de US$ 52,50 bilhões Para 2021, a estimativa de superávit seguiu em US$ 55,25 bilhões. Há um mês, estava em US$ 55,00 bilhões.

No caso da conta corrente do balanço de pagamentos, a previsão contida no Focus para 2020 foi de déficit de US$ 13,50 bilhões para US$ 9,50 bilhões, ante US$ 13,95 bilhões de um mês antes. Para 2021, a projeção de rombo foi de US$ 20,44 bilhões para US$ 19,50 bilhões. Um mês atrás, o rombo projetado era de US$ 20,88 bilhões.

Para os analistas consultados semanalmente pelo BC, o ingresso de Investimento Direto no País (IDP) será suficiente para cobrir o resultado deficitário nestes anos. A mediana das previsões para o IDP em 2020 seguiu em US$ 55,00 bilhões. Há um mês, estava em US$ 60,00 bilhões. Para 2021, a expectativa foi de US$ 70,00 bilhões para US$ 64,10 bilhões, ante US$ 75,00 bilhões de um mês antes.