Banco do Brasil fechará três agências no RN

Publicação: 2021-01-13 00:00:00
O plano de reorganização do Banco do Brasil prevê o fechamento de três agências no Rio Grande do Norte - em Natal, Parnamirim e Mossoró - e de um posto de serviço em Tangará, com a absorção dos serviços em outras agências e correspondentes bancários. A informação foi confirmada nesta terça-feira (12) pela nova superintendente da instituição no Estado, Priscila Requejo Simões de Araújo, durante reunião com a governadora Fátima Bezerra.

Créditos: Sandro MenezesPriscila Araújo se reuniu ontem com a governadora Fátima BezerraPriscila Araújo se reuniu ontem com a governadora Fátima Bezerra

Sobre as demissões, a nova superintendente do banco no RN explicou que apenas os servidores que aderirem ao Plano de Demissão Voluntária serão afastados, pois os que trabalham nas agências a serem fechadas serão realocados para as 15 novas carteiras que a instituição passará a operar. No encontro, a governadora externou sua preocupação com o fechamento de agências e a possibilidade de demissão de funcionários do Banco do Brasil no Rio Grande do Norte. O banco opera a folha de pagamento dos servidores estaduais nos 167 municípios potiguares.

De acordo com a direção do BB, os servidores estaduais não serão prejudicados porque o banco investirá em correspondentes bancários, com previsão de três unidades em cada município. “Na condição de Governo, temos a obrigação de acompanhar essa situação, pois são serviços muito importantes para os servidores públicos, a população em geral e a economia do nosso estado”, afirmou a governadora.

Além da folha de pessoal, a gestão estadual opera com o banco na cobrança da dívida ativa por meio de um acordo inédito para a gestão estadual.  Desde 2019, a Procuradoria Geral do Estado (PGE) enviou dois lotes de cobranças da dívida ativa e recuperou R$ 7,6 milhões de créditos “podres”, considerados de difícil recuperação em condições normais.

O Banco do Brasil informou ao mercado na segunda-feira (11) sobre a aprovação de um plano de reorganização para ganhos de eficiência operacional que prevê, entre outras medidas, o fechamento de 112 agências da instituição, além da criação de um Programa de Adequação de Quadros (PAQ) e de um Programa de Desligamento Extraordinário (PDE), que alcançaria em torno de  5 mil funcionários. O banco diz que a implementação plena das medidas deve ocorrer durante o primeiro semestre deste ano. O banco não informou os locais onde as agências serão fechadas ou convertidas em postos de atendimento. 

O plano de reorganização prevê ganhos de eficiência e otimização em 870 pontos de atendimento do País, com a desativação de 361 unidades (112 agências, sete escritórios e 242 postos de atendimento), a conversão de 243 agências em postos de atendimento e oito postos de atendimento em agências, transformação de 145 unidades de negócios em Lojas BB, sem guichês de caixa, relocalização compartilhada de 85 unidades de negócios e criação de 28 unidades de negócios (14 agências especializadas agro e 14 escritórios leve digital).

A Associação Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil (ANABB) cobrou a revisão das medidas. Em carta encaminhada ao presidente do BB, André Guilherme Brandão, a ANABB diz que as medidas transmitem uma percepção de "cortina de fumaça" para encobrir "intenções privatistas" em torno do BB.

Agronegócio
Nesta terça-feira (12), o Banco do Brasil anunciou a abertura de 14 novas agências no País para atuar no setor do agronegócio. Segundo a instituição, o setor representa 26% da carteira de crédito total do banco e teve crescimento de 4,2% nos últimos 12 meses, chegando a R$ 190,5 bilhões. 

O BB anunciou o pagamento de R$ 103 bilhões para o plano Safra 20/21, valor 11% superior ao da safra anterior.”Mesmo diante dos fortes impactos econômicos causadas pela crise da covid-19, as operações de investimento tiveram destaque, com contratação 41% superior ao mesmo período da Safra 19/20, enquanto as de custeio apresentaram aumento de 15%”, destaca nota do banco.

No setor do agronegócio, o BB intensificará a atuação em 243 municípios e 71 mil clientes contarão com atendimento especializado. “A iniciativa faz parte de um conjunto de ações lançadas nesta semana para reforçar a competitividade e a eficiência operacional do BB, buscando a melhoria da experiência e satisfação do cliente”, diz o comunicado.