Band exibe na terça-feira 15º episódio da 7ª temporada do MasterChef Brasil

Publicação: 2020-10-18 00:00:00
Na próxima terça-feira (20), a Band leva ao ar o 15º episódio da da 7ª temporada do MasterChef Brasil 2020.  Oito novos cozinheiros amadores, com personalidades totalmente distintas, são surpreendidos por uma prova muito emotiva. Em cada bancada, eles vão encontrar uma caixa que esconde um globo de neve com uma data festiva diferente: aniversário, Natal, Páscoa, Ano Novo, Dia das Mães, dos Pais, das Crianças e Dia dos Namorados.
Créditos: DivulgaçãoEm cada bancada, participantes terão uma caixa que esconde um globo de neve com uma data festivaEm cada bancada, participantes terão uma caixa que esconde um globo de neve com uma data festiva

O desafio será buscar referências nas memórias afetivas e nos momentos em família para criar um cardápio que conquiste o paladar dos jurados. Embora a receita seja livre, ela deve ter algum significado relacionado à data que o competidor recebeu. Quem conseguir conter a emoção, e preparar um prato sem defeitos, passa para a segunda etapa da competição.

Em 2020, por conta da pandemia do novo coronavírus, serão oito novos competidores a cada programa. Nesta sexta-feira (16), os participantes do próximo episódio foram divulgados pela emissora. São eles: Janice, Juliana, Luiz, Marcos, Milena, Pedro, Renan e Renata. O reality show culinário continua com os jurados Paola Carosella, Henrique Fogaça, Erick Jacquin e a apresentadora Ana Paula Padrão na nova temporada.

Na prova decisiva, os participantes terão de demonstrar que têm bagagem gastronômica e conhecem bem a cozinha clássica. Os chefs Henrique Fogaça, Erick Jacquin e Paola Carosella exibem uma mesa com seis tipos de molhos: bechamel, hollandaise, velouté, molho de tomate, beurre blanc e molho espanhol. Todos eles servem como base para sopas, cremes, recheios, suflês e inúmeras outras possibilidades. A partir disso, os sobreviventes deverão elaborar um prato digno de MasterChef.

O autor da melhor receita conquistará o 15º troféu do MasterChef Brasil 2020, além de ganhar R$ 5 mil do PicPay e doar a mesma quantia para a Associação Resgatando Cidadania, de Cuiabá (MT), que trabalha no tratamento e recuperação de pessoas com vulnerabilidade e dependência química. O vencedor do episódio ainda será premiado com uma bolsa de estudos integral para graduação ou pós-graduação da Universidade Estácio, um dispositivo Echo e R$ 5 mil em compras no site amazon.com.br. A Brastemp também dará ao campeão um forno da linha Gourmand, digno de um chef, e a Tramontina oferecerá um jogo de panelas profissional e um Kit Chef de facas.  

Vencedores

No 1º episódio, o vencedor foi Hailton. No 2º episódio, Anna Paula foi a vencedora, e no 3º, Alessandra sagrou-se campeã. Paulo Henrique levou o prêmio no 4º episódio e Thiago no 5º. No 6º programa, foi a vez de Heitor. Danielle, a vencedora do 7º episódio, recebeu críticas nas redes sociais por ter arremessado ingredientes no chão para entregar o prato a tempo. O 8º foi vencido pela policial militar Karoline e o 9º por Edson. O desempregado Salvador, campeão do 10º episódio, doou seu prêmio em dinheiro. No 11º programa, Cláudio foi o campeão e chamou Fogaça de "delícia" após o título. Fernanda foi a vencedora do 12º. Em sua 2ª participação no MasterChef, Adriana venceu o 13º episódio. Lucas foi o campeão do 14º.

Vencedor do 14° episódio do MasterChef 2020, o engenheiro de produção Lucas, de 30 anos, paulista, de Limeira, e apaixonado por gastronomia, foi o melhor cozinheiro nas duas provas do programa. Chegar a este lugar não foi fácil e envolveu muita dedicação e estudo. Para se ter uma ideia, até os 18 anos, quando foi morar sozinho em Joinville (SC) para cursar a faculdade, Lucas não sabia nem mesmo fritar um ovo. “Na época, minha mãe fez um livro de receitas a mão com o que eu precisava saber e me deu”, disse, em entrevista ao Portal da Band.

O livro de dona Lourdes salvou a vida do então estudante, que morava em uma república onde ninguém sabia cozinhar. “Nele tinha mais dicas do que receitas. Minha mãe deixou orientações como, por exemplo, não colocar uma colher molhada em uma panela cheia óleo porque explode. Eu não tinha noção e aquilo foi um passo a passo para não me matar”, brincou.

Deu certo! De lá pra cá, Lucas avançou na cozinha amadora e em sua formação, onde cursou mestrado, doutorado e, após cerca de 12 anos, parou pela primeira vez de estudar. Foi quando percebeu que a gastronomia havia ganhado espaço importante em sua rotina e na memória do celular. “90% das minhas fotos eram de comida. Às vezes, ficava horas nas redes sociais ou na internet estudando receitas e empratamento. Ninguém consegue provar pela imagem, mas é possível ficar com vontade. Por isso, criei até uma página no Instagram em que compartilho imagens de comer com os olhos, a @cozinhaeconversa.”

Quem vê os pratos elaborados feitos pelo campeão do MasterChef mal pode imaginar que há alguns anos suas receitas não passavam de macarrão feito em toneladas. Na cozinha da casa compartilhada onde morou não havia nem mesmo uma travessa que coubesse a refeição dos oito rapazes. A saída era pegar a gaveta de frios da geladeira e usar como recipiente.

Tudo mudou há alguns anos, quando foi morar sozinho em Itatiba, também no interior de São Paulo, e precisou enfrentar o oposto do que vivia nos tempos de universitário. O desafio se tornou cozinhar quantidade suficiente para uma única pessoa. “Eu não gosto de repetir prato e precisei me desenvolver para fazer receitas fracionadas. Hoje em dia, cozinho purê com uma batata, porção pequena que serve um único prato. Quando vou ao supermercado, é engraçado, compro uma berinjela, uma cebola, uma abobrinha. Cada dia, faço uma coisa diferente”, explica.

Tamanha técnica do cozinheiro amador impressionou a chef Paola Carosella que, ao provar seu arroz de hauçá, disse que foi uma das melhores receitas que experimentou durante a sétima temporada do programa. Ele, claro, não conseguiu conter a alegria. “Foi uma realização. Valeu 100%. Foi mais emocionante do que ganhar.”

Agora, Lucas pensa em uma forma de unir engenharia e culinária. Certeza ele tem de que continuará inventando receitas e criando pratos belíssimos. “Pretendo investir o que ganhei em melhoria de processos e redução de desperdícios na cozinha.  Quero abrir um negócio meu de consultoria”, afirma. “No MasterChef, aprendi que nunca é tarde pra começar alguma coisa”, afirma o engenheiro.