Viver
Banda CoisaLuz lança o videoclipe 'Afroameríndia'
Publicado: 00:00:00 - 25/01/2022 Atualizado: 21:19:46 - 24/01/2022
A banda Coisaluz lançou o videoclipe da música “Afroameríndia”, mais uma produção do projeto Som Sem Plugs. Gravado em Mossoró e nas Dunas do Rosado, o clipe foi produzido em dezembro do ano passado, com a equipe de produção do projeto, apoiada por profissionais locais e com as artistas das terras de Santa Luzia. O trio feminino de Mossoró recebeu 5.245 votos na votação popular do edital Música Transforma 2021, ficando em primeiro lugar na categoria “Oeste”. 

Divulgação
A banda tem Bianca Cardial, Dayanne Nunes e Flávia Fagundes

A banda tem Bianca Cardial, Dayanne Nunes e Flávia Fagundes


O videoclipe é uma exaltação à mulher nordestina, negra, indígena, brasileira. Com ele, a banda pretende ressignificar a miscigenação, um fenômeno criado com o intuito de enfraquecimento das raças, um projeto de eugenia com escopo de embranquecer e apagar os traços  dos povos colonizados. 

“A música, de autoria das próprias integrantes da banda, é um convite à reflexão coletiva sobre a herança e origem da mulher brasileira, ressalta a importância de saber quem somos enquanto povo e exalta os benefícios do resgate da ancestralidade, do contato com a cultura e tradições que foram aos poucos sendo apagadas, além de ser um chamado para a união entre as mulheres”, explicou Bianca Cardial, produtora. 

A banda é formada por Bianca Cardial, Dayanne Nunes e Flávia Fagundes, três mulheres mossoroenses que carregam no sangue a herança africana e ameríndia. São mestiças, cafuzas e caboclas. Todas trazem consigo a mistura de cor, de raça, de potiguaras, de paiacus, de Brasis. Para as componentes da banda, o videoclipe deu rosto, cor, e forma a essa música e mostra quem é a 'afroameríndia', quem é a CoisaLuz. 

O trio mossoroense lançou seu primeiro EP, “Afroameríndia”, em março de 2021 – não por acaso, o mês da mulher. O trabalho, viabilizado por recursos da Lei Aldir Blanc, foi produzido pelo diretor musical Iury Matias, e lançado pelo selo DoSol. A banda foi formada em 2019, em um evento chamado Feira das Bruxas, e desde sempre tem a proposta politizada, configurada em forma de sons, ritmos, letras e melodias.  Com o lema “mulheres que caminham juntas ninguém é capaz de domar”, o grupo está sempre pronto a passar sua mensagem. 

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte