Bangu renasce

Publicação: 2020-10-18 01:00:00
Rubens Lemos Filho
rubinholemos@gmail.com


A garotada desconhece o Bangu(RJ), no passado um grande carioca que entrou em declínio com a morte do seu patrono, o bicheiro Castor de Andrade. Os meninos não sabem o que perderam.

“Doutor” Castor resolvia na bola ou na bala. Foi campeão carioca de 1966 destruindo o Flamengo. Foi vice-campeão brasileiro de 1985, perdendo nos pênaltis para o Coritiba(PR). Ainda em 1985, perdeu no roubo o campeonato carioca para o Fluminense(2x1).

No minuto final, o atacante Cláudio Adão sofreu homérico pênalti, não marcado pelo árbitro José Roberto Whright, torcedor do Fluminense. Uma das mais desavergonhadas cenas do futebol.

Pelo Bangu, passaram sumidades do nível de Domingos da Guia, Zizinho(ídolo de Pelé), Zózimo, Mauro Galvão, Paulo Borges, Jaime, Ocimar, Aladim, Arthurzinho, Mário Português, Dé, Marinho sambista da ponta-direita, Ladeira, um matador. O Castorduto segurava forte o Bangu.

Morto o chefão, do Jogo do Bicho e da Escola de Samba Mocidade Independente de Padre Miguel, o Bangu sucumbiu. Por inanição.

Agora, fortalecida pelo amor , a comunidade assumiu o time, conseguiu 12 patrocínios e o Bangu renasceu. É um dos líderes da Série D.

Reacendendo a chama, sacudindo a bateria da escola, o Bangu dá exemplo a quem desiste de uma luta de eternidade chamada futebol. Mesmo sem estar na comissão de frente.

*Dedicado ao jornalista Albimar Furtado, único banguense de Natal.

Dócil

Frei Paulistano é nome de time dócil. É o adversário do ABC que joga em casa e não pode vacilar. Engordar pontuação. O América pega o desesperado Atlético em Cajazeiras, terra tão quente que se frita ovo em calçada.

Bastidores


Fontes sussurram: o América acertou por 7 mil e 500 reais com o atacante Giva, que um dia sonhou ser melhor que Neymar. Aí, fala mais baixo o interlocutor: o ABC teria posto 10 mil a mais.

Crise


Chateado, questiona: “É esta a crise financeira do ABC?”. O ABC perdeu um time inteiro, deve sobrar algum dinheiro para contratar.

Vaná


Goleiro idolatrado pelo ABC, Vaná está jogando no Famalicão de Portugal, emprestado pelo Porto. Seu valor de mercado é de 800 mil euros. Ou R$ 4,8 milhões.

Papão


Bicho-papão na década de 2000, o São Caetano ensaia volta por cima conquistando o título paulista da Série A2. É o terceiro que conquista. Derrotou o São Bento nos pênaltis por 4x3. O São Caetano decidiu no passado Brasileiros e Libertadores.

Na seleção

Cinco jogadores com passagem por ABC e América foram eleitos para a seleção do campeonato: Diego Jussani, Fábio Bahia, Anderson Rosa e Ruan pelo alvinegro e Daniel Costa, o talibã, que fez ótimos jogos pelo América.

Empate


ABC 0x0 América no dia 18 de outubro de 1981. Público de 16.120 pagantes no Estádio Castelão com arbitragem do baiano Nei Andrade Nunesmaia.

Times


ABC do técnico Waldemar Carabina: Caetano; Jorge Luís, Joel, Cláudio Oliveira e Escurinho; Gelson, Arié e Noé Macunaíma (Ademir); Tinho(Alberi), Mirandinha e Peri. Mirandinha disputou a Copa do Mundo de 1974. América do interino Otávio César: César; Ivan Silva, Lúcio Sábiá, Odélio e Vassil; Norival, Gilson Lopes e Soares(Valério); Sandoval, Miltão e Beca(Mário).

Covardia

Em 1981, o América conquistou seu primeiro campeonato com ajuda providencial do ABC. Graças a um dirigente traíra, o técnico Erandyr Montenegro - que ganhou invicto o primeiro turno, foi despedido sem razão alguma. Passou um período descansando no Potyguar de Currais Novos e acabou no América dando o tri e se vingando do adversário burro.

Caducar

Editada em junho, a MP do Mandante  caducou sem ser apreciada pelo Congresso Nacional. O motivo é a falta de acordo entre as lideranças. O último dia de vigência foi a quinta-feira passada.

Projeto

Projeto de Lei 4876/20 determinava que o direito de negociar a transmissão da partida pertencia exclusivamente ao time mandante do jogo.

Antes

A proposta foi apresentada pelo deputado André Figueiredo (PDT-CE) e repete, com algumas mudanças, o texto da chamada MP do Mandante (Medida Provisória 984/20), que perder a validade semana passada . Antes da edição da MP, a partida só poderia ser transmitida caso as duas equipes tivessem um acordo com a mesma emissora.

Conteúdo


“Diante dessa caducidade, apresentamos o projeto, que resguarda o conteúdo principal da proposta, de modo a garantir que esse tema de relevante importância para aprimoramento do marco legal do direito de arena possa ser efetivamente deliberado pelo Poder Legislativo”, explicou Figueiredo.

Mudanças


Em relação à MP do Mandante, a proposta de Figueiredo faz três mudanças. Primeiro, ela estabelece que os jogadores terão direito a, no mínimo, 5% do valor dos contratos negociados entre o clube e a televisão. A MP fixou em 5% o valor do chamada direito de arena.




Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.