Batata doce: poderosa!

Publicação: 2014-07-06 00:00:00
Isaac Ribeiro
Repórter

De comida típica de festas juninas, passando pelo café da manhã na casa da vovó, até chegar à mesa de praticantes de musculação, fisiculturistas, malhadores de plantão, a batata-doce é hoje mais celebrada do que nunca! E não é pra menos. Da família dos tubérculos, ela é um carboidrato de baixo a moderado índice glicêmico, rica em proteínas, fósforo, potássio, vitaminas C, A e as do Complexo B.

A batata-doce fornece energia para o corpo, estimula a saciedade e afasta a fome, regula o bom funcionamento do intestino, ajuda a controlar as taxas de açúcar no sangue, tem baixas calorias e ainda contribui para eliminar as gorduras abdominais.
Batata-doce faz sucesso como importante fonte de energia para desportistas por ser carboidrato de baixo índice glicêmico
A melhor forma de preservar os nutrientes da batata-doce é consumi-la assada. Porém, a forma mais comum é cozida na água. “Mas ela tem que ser bem higienizada para eliminar as impurezas. Ela deve ser cozida com a casca para preservar mais os nutrientes”, recomenda a nutricionista clínica Rita Castro, especializada em Terapia Nutricional e mestre em Ciências pela Universidade de São Paulo (USP/SP).

saiba mais

Ela explica que por se tratar de um carboidrato, a batata-doce deve estar em nossa alimentação de forma equilibrada, sem excessos. Então, nada de comê-la  no café da manhã, no almoço e no jantar, hein!? O ideal é variar as fontes de carboidratos, investindo também em inhame e macaxeira.

Qualquer pessoa pode comer batata-doce, até mesmo diabéticos, desde que de forma moderada — duas ou três rodelas ao dia. Porém, há algumas pessoas que podem reclamar de desconforto gástrico e formação de gases. Mas, de acordo com Rita Castro, são pessoas com o funcionamento intestinal ineficaz.

Energia sem problemas


O empresário Carlos Alberto Pinheiro, 57 anos, frequentador de academia, se alimenta de batata-doce todos os dias. Ele diz ter o hábito de comer o tubérculo pela manhã e uma hora antes do treino. “Quando você faz  o exercício, a musculação, sente que  se fortalece mais. Inclusive, também dá mais resistência no condicionamento físico.”

Adepto da batata-doce há cerca de quatro anos, o empresário diz só contabilizar benefícios, enfatizando a supremacia com relação à batata inglesa. Uma das formas preferidas de Carlos Alberto comer  é acompanhada de tapioca e aveia — embora com tapioca junta-se dois tipos de carboidrato.

Mas a batata-doce com frango também faz parte do cardápio do empresário. Ele diz alternar a batata com inhame e macaxeira. “E o pão francês está totalmente abolido.”

Em tempo: a batata-doce é a rais de uma planta rasteira, nativa do continente americano, que cresce livre, sem exigir cuidados especiais de cultivo. No Brasil, há quatro tipos conhecidos, com variação de cores e tipo de polpa, sendo a roxa a mais apreciada, principalmente nas regiões Norte e Nordeste.