BBC começa a investigar entrevista da princesa

Publicação: 2020-11-19 00:00:00
A rede britânica BBC iniciou ontem uma investigação independente para desvendar como um dos seus jornalistas, acusado de falsificar documentos, obteve uma impactante entrevista em 1995 com a princesa Diana em que ela revelou a ruptura de seu casamento com o príncipe Charles.

A junta diretora da rádio-televisão pública britânica nomeou um ex-juiz da Suprema Corte John Dyson para liderar uma investigação sobre as circunstâncias que rodearam a entrevista para o programa Panorama, informou a emissora em um comunicado.

A entrevista, vista por 22,8 milhões de britânicos, teve o efeito de uma bomba: a princesa, que morreu dois anos depois em um trágico acidente de carro em Paris, disse que havia "três pessoas" em seu casamento, referindo-se a relação de Charles com Camila Parker Bowles. E admitiu ter ela mesma uma aventura. 

Vinte e cinco anos depois, o irmão de Diana, o conde Charles Spencer, acusou o famoso jornalista Martin Bashir de ter falsificado documentos para obter a entrevista. Spencer alegou que nas semanas que antecederam a entrevista, Bashir fez afirmações falsas e difamatórias sobre membros da realeza para ganhar sua confiança e acesso à sua irmã. Entre as alegações, disse que o telefone de Diana estava grampeado e que seu guarda-costas estava tramando contra ela. 

Ele alegou que Bashir lhe mostrou "extratos bancários falsos", supostamente para mostrar que dois assessores reais estavam sendo pagos para manter Diana sob vigilância.

"Se eu não tivesse visto essas declarações, nunca teria apresentado Bashir à minha irmã", escreveu em uma carta direcionada à BBC, exigindo desculpas por estes métodos "desonestos". 

"A BBC está decidida a chegar ao final dessa questão e por isso temos em andamento uma investigação independente", disse seu novo diretor-geral, Tim Davie. A investigação examinará a conduta de Bashir e os "supostos registros bancários". Também estudará o nível de conhecimento da BBC sobre o assunto e sobre a instituição que protegeu seu jornalista a todo custo.