Bel canto de uma nordestina

Publicação: 2010-05-12 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Maria Betânia Monteiro - repórter

Nascida na cidade de Esperança, no sertão paraibano, foi em Natal que a cantora lírica Isabel Barbosa viveu alguns bons momentos no universo da música erudita. Isabel foi instrumentista da Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte por oito anos, época em que tocou violino. Como todo artista, o voo era uma questão de tempo. A cantora ganhou fama e reconhecimento nos palcos da Itália, um dos berços da ópera. Disputando a atenção do mercado com os qualificados profissionais europeus, Isabel conquistou o seu espaço e se tornou em 2009, a primeira cantora lírica brasileira a participar da Academia Festival Pucciniano, referência nas atividades de aprofundamento e de interpretação da obra do compositor G. Puccini, um dos nomes mais respeitados da Itália. Este mês, ela faz apresentação no Teatro Signorelli, na Itália e anuncia com exclusividade uma turnê no Brasil, no mês de outubro.

A soprano Isabel Barbosa, hoje vivendo na Itália, diz que gostaria de se apresentar em Natal, mas sua agente esbarrou em um problema: a  Orquestra local estava parada.O VIVER conversou com a cantora por telefone, que estava na cidade de Pian di Scò, na região Toscana da Itália. Sob influência do idioma daquele país, a cantora falou entusiasmada sobre todo o seu percurso profissional e também como deixou à cidade natal nos braços de uma família estranha, que lhe deu abrigo e todas as instruções necessárias para que nunca perdesse nem a esperança, nem a vontade de desenvolver suas habilidades musicais.

Por razões não declaradas pela cantora, Isabel saiu de Esperança com apenas oito meses de vida, para morar com seus pais adotivos na capital João Pessoa. “Meus pais tinham onze filhos naturais e me adotaram. Eles mantinham todos os filhos em aulas de piano. Fui a única que seguiu a carreira profissional”, disse Isabel.

Entre falas e sorrisos, conta que dona Delifli, sua mãe adotiva, sempre sonhou que um dos seus filhos tivesse estreita ligação com a música. “Minha mãe esteve comigo em todos os momentos de minha vida. Sempre que eu ia às audições e às apresentações, ela me acompanhava”, disse.

Mas a habilidade com a música, seja cantada ou tocada, não surgiu apenas com as aulas de piano. Isabel conta que quando completou 26 anos, conheceu a sua mãe biológica e descobriu que o talento para música era uma herança genética. “Os vizinhos da minha mãe verdadeira diziam que ela tinha uma voz linda e que passava o dia todo cantando”.

O talento

Isabel conta que foi a força da mulher brasileira que fez com que ela se mantivesse firme na conquista de seu maior objetivo: ser cantora lírica na Itália. Ela chegou à Europa contando apenas 29 anos, acompanhada de um filho pequeno. Lá, descobriu que os profissionais da música tinham uma preparação técnica superior a do Brasil. “Insisti porque eu tinha talento. E um talento pode nascer em qualquer lugar do mundo”.

Na Itália, a cantora voltou à estaca zero e reiniciou os seus estudos em música, já que as exigências eram grandes naquele país. E foi neste período que Isabel passou a compreender e a explorar o seu instrumento vocal com precisão; feito realizado com muita persistência e determinação. “Enquanto vivi na Itália, não desisti de conquistar os meus objetivos, um minuto sequer. Eu nunca me cansei, eu só olhava pra frente”.

Isabel explica que a sua decisão de ir pra a Itália não foi arbitrária. Como cantora lírica, as possibilidades de evoluir no Brasil, especificamente no nordeste são muito pequenas. “Acredito que só aqui eu tenho possibilidade de colocar em prática um talento que descobri no Brasil”.

A crença nos críticos

A ida de Isabel à Itália aconteceu depois de ter sensibilizado o público e a imprensa paraibana, durante algumas de suas apresentações. Uma delas foi ao lado da Orquestra Sinfônica da Paraíba, quando fez apresentação solo, dirigida por Eleazar de Carvalho. Na ocasião ela encantou o público e a crítica paraibana.

Com o apoio da mídia, das diversas reportagens e artigos publicados e da população do Estado, a cantora conseguiu financiar a sua viagem à Itália. “Eu estava tão decidida a ser cantora lírica na Itália, que resolvi dar todos os meus móveis. Deixei a casa vazia para cumprir o meu destino”.

No RN, turnê não confirmada

Tendo conquistado o lugar que sempre sonhou, a cantora lírica retorna ao Brasil no mês de outubro para fazer turnê em Pernambuco (6 de outubro), na Paraíba (7 de outubro) e no Ceará (em data ainda não confirmada). Em todas as apresentações a cantora estará acompanhada pelas orquestras de cada Estado. “Minha assessora tentou marcar uma apresentação em Natal, mas foi informada de que a Orquestra Sinfônica do RN estava parada. Seria uma ótima oportunidade de rever os amigos”, lamenta. Na turnê, Isabel trará um repertório com Ópera do Bel Canto Italiano e repertório operístico francês.

No palco mais requisitado da Itália

A soprano brasileira Isabel Barbosa participará do Concerto Nuance del Bel Canto em um dos mais importantes Teatros da historia e cultura Italiana, no próximo dia 27. O evento será realizado no Teatro Signorelli de Cortona.

Isabel Barbosa será acompanhada pelo pianista Gianni Fabbrini, destaque da crítica italiana, durante o Festival Rossiniano de Pesaro, na Itália. No repertório, músicas eruditas do brasileiro Marlos Nobre, dos italianos Rossine e Giacomo Puccini, dentre outros grandes nomes.

A interpretação e a voz da cantora lírica pode ser conferida no site www.isabelbarbosa.com.br e www.teatrosignorelli.com

continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários