Bienal das Orquídeas expõe cerca de 100 espécies no Câmara Cascudo

Publicação: 2019-08-25 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Natalenses de várias idades, gêneros e lugares foram observar a beleza e a delicadeza de diversas espécies de orquídeas expostas na 5ª Bienal de Orquídeas do Nordeste, que acontece pela primeira vez em Natal, no Museu Câmara Cascudo, da UFRN, localizado no bairro do Tirol. Ao todo, pelo menos 100 espécies de orquídeas estão sendo contempladas na apresentação, que segue até este domingo (25).

Exposição com mais de 100 espécies de orquídeas atrai natalense
Exposição com mais de 100 espécies de orquídeas atrai natalense

Chama a atenção a presença da  Cattleya granulosa Lindley, que foi instituída, em maio, como flor símbolo e oficial do Rio Grande do Norte, por meio de um projeto de lei aprovado na Assembleia Legislativa. Chamou a atenção de Zaira Atanásio, que não sabia da novidade. “Descobri recente isso de ser a flor do Estado. Achei interessante”, disse. Ela foi ao lado da mãe, Francisca, que se foi na expectativa de ganhar conhecimento para começar a cultivar flores naturais em casa.

“Existem 900 gêneros de orquídeas e o Nordeste possui dois deles. Um deles é a Cattleya, são 105 cattleyas, o Nordeste possui a granulosa e a labiática, no Ceará, Pernambuco, Paraíba. Essa é a única espécie que ocorre na natureza no RN. Daí ela ter essa importância simbólica muito grande”, explica o pesquisador cearense Ítalo Gurgel, que cultiva espécies há 19 anos. Ele veio à Natal especificamente para uma palestra, que ministrou neste sábado. 

A espécie potiguar, inclusive, segundo interlocutores do setor, está ameaçada de extinção, estando em listas oficiais de espécies ameaçadas pela Convenção Internacional sobre o Comércio de Espécies da Flora e Fauna Selvagem em Perigo de Extinção. Tornar a cattleya granulosa símbolo estadual foi vista de forma positiva pela categoria, numa tentativa de preservar e valorizar a espécie.

O pesquisador Ítalo Gurgel comenta ainda que a planta é possível de ser cultivada em casa. “Meia sombra, condições de umidade. É procurar conhecer como ela se comporta na natureza e tentar reproduzir esse ambiente, que é o de Natal. Cidade ventilada, boa umidade relativa do ar, aqui já tem as condições propícias”, ressalta.

O evento está sendo promovido numa parceria do museu com a Associação Orquidófilo do Rio Grande do Norte (SORN). A entrada é gratuita. A programação, iniciada na sexta, segue até este domingo (25). Quem for ao MCC vai poder conferir uma oficina e cultivo das orquídeas, palestras, uma mesa redonda sobre o papel da orquidofilia para a região do Nordeste e a premiação das orquídeas premiadas na Exposorn, em sua 27ª edição.    

Quem também veio ao museu para acompanhar a exposição e se inteirar mais sobre o assunto foi a natalense Rosana Martins, de 47 anos, ao lado da filha, Nathalia, 17. Rosana cria plantas desde os 10 anos de idade “Sou louca por plantas. Crio terrestres, cactos, vários tipos”, disse, além de acrescentar que possui seis orquídeas em casa. “Tem tanta planta lá em casa que não dar nem para ver o chão”, brinca a filha.

As pessoas que foram até o MCC puderam observar ainda uma exibição de mais de 100 espécies de 27 cultivadores diferentes. Elas serão premiadas neste domingo por meio de uma votação que está sendo colhida entre os participantes e os visitantes.

Programação
8h30 – Oficina: “Cultivo de orquídeas”

9h30 – Palestra: “Uso judicioso de defensivo na orquidofilia”

10h30 – Palestra: “Cattleya granulosa no RN”

14h – Mesa Redonda: “O Papel da Orquidofilia no Nordeste”

15h30 – Entrega dos troféus das orquídeas premiadas





continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários