Natal
Bilhetagem única não será imediata
Publicado: 00:00:00 - 27/09/2013 Atualizado: 21:53:24 - 26/09/2013
Júlio Pinheiro - editor TN Online

O projeto para a implantação da bilhetagem unificada nos transportes públicos de Natal foi aprovado ontem (25), pela Câmara Municipal do Natal, mas ainda não tem data definida para começar a vigorar na cidade. A Prefeitura, junto às partes interessadas, vai formar uma comissão para discutir a forma como será regulamentada a bilhetagem, que tem prazo de 30 dias para ser finalizada. No entanto, ainda não há a confirmação se o período será suficiente para que os permissionários passem a utilizar o mesmo sistema de bilhetagem dos ônibus. A aquisição de novos equipamentos e a operacionalização das vendas dos cartões de passagem ainda são incógnitas.
Das 87 vans que circulam em Natal, 20 usam bilhetagem eletrônica
Atualmente, os cartões de passagens são habilitados para receber cargas distintas a serem utilizadas em transportes alternativos e ônibus. Ainda não está definido como haverá a integração dos sistemas de cobrança - o que ser-a discutido pela comissão.

De acordo com a secretária de Mobilidade Urbana de Natal, Elequicina dos Santos, o grupo será formado por cinco membros, com representantes do Executivo, sociedade civil organizada, empresas de ônibus e permissionários. A secretária afirma que a Prefeitura ainda não sabe quais serão as necessidades dos transportes alternativos para que a bilhetagem possa ser unificada e, além disso, como será procedida a venda das passagens.

“Por isso, ainda não temos o tempo exato para que isso entre em operação. Há coisas para serem discutidas, como a aquisição dos equipamentos, que será conversado junto aos membros da comissão. Vamos tentar fazer antes dos 30 dias dados para a regulamentação e vamos montar a comissão logo após a sanção do prefeito”, explicou a secretária. Ela aguardava que a matéria fosse enviada pela Câmara à Prefeitura ainda nesta quinta-feira.

Os permissionários também têm dúvidas sobre como será a implantação. Na opinião da presidente da Cooperativa de Transportadores Autônomos de Natal (Transcoop), Maria Edileuza de Queiroz, a unificação da bilhetagem precisa ocorrer em parceria com o Sindicato das Empresas de Transportes Urbano do Rn (Seturn). Para ela, seria inviável que os permissionários investissem em tecnologia para que pudessem também comercializar as passagens porque a Prefeitura está elaborando a licitação dos transportes públicos e é possível que o Município passe a centralizar as vendas de bilhetes.

“Só tem um meio de fazermos esse sistema: é junto com eles [Seturn]. O investimento [em tecnologia] é muito alto e não temos condições de fazê-lo. É mais fácil sermos parceiros. Vamos esperar o bom senso dos dois lados e ver o que é preciso. A gente não quer usar o serviço sem honrar o compromisso com eles”, explicou Maria Edileuza de Queiroz.

A Transcoop informou que, em 2009, a média de custo para as catracas que aceitam a bilhetagem eletrônica foi de R$ 3 mil. Para a presidente da cooperativa, a comercialização é o que gera mais  custos. “Vamos discutir para saber o que é necessário”, disse Maria Edileuza.

Segundo ela, dos 177 permissões para transportes alternativos em Natal, pouco mais de 80 seguem circulando. A assessoria de imprensa do Seturn informou que não vai comentar o processo de implantação da bilhetagem unificada. O NatalCard, parte comercial do Seturn que disponibiliza para os  usuários cartões recarregáveis de passagens, também preferiu não comentar.



Leia também