Alex Medeiros
Bo Derek, Mulher 65
Publicado: 00:00:00 - 20/11/2021 Atualizado: 23:34:19 - 20/11/2021
Alex Medeiros 
alexmedeiros1959@gmail.com

Ela tinha apenas 16 anos quando entrou na mira do ator e diretor John Derek, que estava com 46 e casado com a atriz Linda Evans (a terceira esposa após as também atrizes Pati Behrs e Ursula Andress). A adolescente Mary Cathleen Collins era somente uma bela garota da Califórnia, e sua beleza juvenil teve um efeito explosivo no instinto de conquistador do cineasta. Ele não só a atraiu, como a convenceu a passear nas ilhas gregas e a pensar em tornar-se estrela.

Divulgação


No Natal de 1973, Linda Evans recebeu do marido o pior presente: um aviso de que estava apaixonado por uma estudante que abandonou o ensino médio em Long Beach e estava com ele na Europa para iniciar a carreira de atriz. Bo Derek era 30 anos mais nova que John e 17 em relação à Linda. O love affair balançou Hollywood e agitou a imprensa americana, que tinham em John e Linda um exemplo de casamento feliz. Os amigos tentaram interferir no caso.

O ator e lenda John Wayne telefonou para a Grécia e deu um esporro em John Derek, dizendo que ele estava arruinando sua vida e carreira. A mãe de Bo Derek, amiga de atrizes como Ann-Margret e a própria Evans, ligou o alarme.

Nada impediu o namoro e a mídia logo descobriu a esplendorosa sensualidade da garota. Uma jornalista escreveu que John finalmente conseguira encontrar a versão adolescente na mistura anatômica de Ursula Andress e Linda Evans.

O casal ficou zanzando dois anos em solo europeu, até Bo completar 18 anos, o que seria importante na volta aos EUA, de modo a livrar Derek de acusação de assédio a menor ou mesmo de uma ação penal por estupro de vulnerável.

Os dois casaram às pressas numa madrugada em Las Vegas, numa cerimônia comandada por uma pastora evangélica que os atendeu em casa horas antes de dormir. Abençoou os noivos sem tempo para retirar os bobs dos cabelos.

Quando Bo Derek fez 19 anos, rejeitou o papel principal no filme Hong Kong, lançado em 1976, dando lugar a Jessica Lange que até hoje agradece. Em 1977, com 21, atuou em Orca, a Baleia Assassina, e foi comida pelo monstro.

Mas aí veio o filme “10” (no Brasil, Mulher Nota 10) em 1979, uma comédia que lançou Bo Derek ao estrelato e a transformou numa pin-up, atingindo popularidade espantosa e cultuada como a mais bela mulher daqueles anos.

O filme do diretor Blake Edwards tinha alguma semelhança com sua história com John Derek. O comediante e músico inglês Dudley Moore no papel de um quarentão que encontra numa jovem o estereotipo da amante perfeita, nota 10.

A convivência de Bo Derek num bairro negro a fez impor ao diretor o penteado com tranças e muitas contas penduradas. A cena saindo do mar (que ironia com a ex de John, Ursula, em 007) de maiô bege foi uma catarse universal.

A exposição das suas curvas, o olhar, o sorriso, os amassos com Dudley, fizeram do mundo uma orca a comê-la com os olhos. Minha geração aos 20 anos pregou sua foto nos quartos, pranchetas escolares, salas de diretórios.

Bo Derek tornou-se a partir daquele filme um símbolo sexual, um ícone cultural, uma referência fashion. Mulheres no mundo inteiro, brancas, negras, ruivas e amarelas, penduraram contas, botões e conchas marinhas em seus cabelos.

Ela também mostrou não ser apenas um rostinho bonito, e além de atriz tornou-se produtora e ativista em defesa dos animais. Inclusive realizando um sonho de infância que era criar e montar cavalos, coisa que faz até hoje.

John morreu em 1998, tempos depois ela namorou um garotão de 18 anos (compreende-se) e aí conheceu o cantor e ator John Corbett (astro da série Sex and the City), com quem casou ano passado após 20 anos de relação.

Hoje, 20 de novembro, Bo Derek faz aniversário de 65 anos e segue brilhando naquilo que faz, produzindo, cavalgando seus cavalos, escrevendo e atuando em favor dos bichos. Ela, Ursula e Linda, todas ex de John Derek, são superamigas e sempre se encontram. Ano passado, seu estilo em 1979 voltou à moda.

Vacina 
Durante meses, a catarinense Arlene Ferrari lutou para comprovar que seu filho Bruno, de 28 anos, sofreu AVC após tomar vacina de Covid. Perambulou em busca de ajuda jurídica e foi linchada nas redes por brigar pelo próprio filho.

Comprovação 
Nesta semana, a Superintendência de Vigilância Sanitária de Santa Catarina confirmou que a morte de Bruno foi efeito da Astrazêneca. Ontem, outras mães de luto por seus filhos criaram coragem para encarar o fascismo do Twitter.

Rejeição
Quinta-feira o pré-candidato a presidente Ciro Gomes rebateu pergunta na CNN dizendo que era menos rejeitado do que Lula, Bolsonaro e Moro. Ontem, a Veja chegou nas bancas com o trio e seus índices de rejeição na capa.

Senado 
Não adianta tentar arrancar de Garibaldi Filho algum comentário sobre sua liderança numa recente pesquisa para o Senado. Sua resposta é só uma: está concentrado e trabalhando pela reeleição do filho Walter a deputado federal.

Senado II 
E ontem, uma outra pesquisa para o Senado foi divulgada na rádio 96 FM mostrando o ministro Rogério Marinho na liderança em três cenários pesquisados. Ele supera o também ministro Fábio Faria e o senador Jean Paul.

Black Friday 
Definitivamente, o sucesso anual da campanha de incentivo ao comércio mexe muito mais com a vida das mulheres do que cinco décadas de feminismo. A adesão feminina foi tamanha nos últimos anos que contaminou até os machos.

Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte