“Boicote já” contra a alta da gasolina

Publicação: 2011-04-09 00:00:00 | Comentários: 6
A+ A-
Sara Vasconcelos - Repórter

Defender o direito de consumidor exercendo-o. Foi desta forma que centenas de pessoas mostraram sua indignação com o aumento do preço dos combustíveis e reivindicaram a redução dos custos, na tarde de ontem. Filas de carros bloquearam o acesso pela avenida Prudente de Moares, ao posto localizado no cruzamento com a Miguel Castro. O protesto colocou em marcha lenta o funcionamento do posto, em horário de maior procura por abastecimento – entre às 18h30 e 20h – provocando prejuízo.  O movimento pacífico e consciente, teve origem na comunidade “Boicote Já”, de uma rede de relacionamentos Orkut, e reuniu não só estudantes universitários, como profissionais liberais de diversas áreas e servidores públicos.  O posto foi escolhido devido ao número de veículos e pessoas que transitam pela via.

O protesto contra a alta da gasolina atraiu centenas de consumidores a um posto da Prudente de Morais. Dilma proibiu a Petrobras de reajustar preçosAlinhados a uma das filas de bombas de combustíveis, os consumidores exerciam seus direitos ao exigir notas fiscais e testes de qualidade da gasolina, independente da quantia paga. Os valores dos abastecimentos  variavam entre R$ 0,10 e R$ 1,00, inclusive com números quebrados para dificultar o troco. “A ideia é que os donos de postos também tenham prejuízo. Estamos abastecendo em ‘conta-gotas’ para atrasar o atendimento, e exigindo tudo que nos é de direito”, disse um dos idealizadores do ato, Anderson Júnior.

Apesar do trânsito lento, os condutores demonstravam apoio a causa e alguns até se juntavam ao movimento. Adesivos com frases “Boicote aos postes BR. Diga não ao cartel” eram comercializados nos canteiros e sinais. “É totalmente abusivo que um pólo de gás e petróleo, como o RN, pratique as tarifas mais altas do Nordeste”, disse o  servidor público José Edmar de Sarújo Jr, que parou para abastecer e aprovou o ato.

O assistente administrativo Flávio Jácome, 31 anos, pediu cupom fiscal para a compra de R$ 0,10 de gasolina. “Essa é nossa forma de impor o que queremos. Não podemos aceitar que o RN seja o pivô dessa roubalheira ao cidadão”, reclamou. Renato Galdino, 19 anos, segurava com outros ciclistas cartazes e incitando o uso de bicicletas e criação de ciclovias. “O reajuste afeta a vida de todos, porque reflete em aumento de diversas mercadorias”.

O dentista Ricardo ferreira, 50 anos, trocou os postos da capital pelo do interior como forma de boicotar o reajuste. “É uma máfia que  abrange todas as esferas, que fazem vista grossa a esse cartel dos postos”, afirma. O dentista aguardava pacientemente a vez de colocar pouco mais de 300ml e pedir o teste de qualidade.

A intenção de fato surtiu efeito. Na primeira hora, um funcionário que preferiu não se identificar, lamentava o “Nesse ritmo e nesse horário, devemos ter perda significativa”, observa.

Uma série de outras mobilizações estão programadas para a próxima semana.

Petrobras

A Petrobras esclarece que a última alteração no preço da gasolina em suas refinarias foi uma redução de 4,5%, em junho de 2009. Em nota, a estatal justifica que os recentes aumentos nos postos de abastecimento se referem ao aumento do preço do etanol anidro, que é adquirido e adicionado à gasolina pelas distribuidoras, no percentual de 25%. Do preço que o consumidor paga nos postos, a parte da Petrobras (realização) representa cerca de 30%, ou seja, se o consumidor paga três reais pelo litro, a parte da Petrobras é de cerca de um real. Os impostos representam 41% do preço final. A parte das distribuidoras e dos revendedores (postos) é de 12% e o etanol anidro adicionado à gasolina corresponde a 18% do preço final do combustível. E que não houve reajuste dos preços  nesse período e se mantêm alinhados aos principais concorrentes mundiais.

Quem aumentou, amarga prejuízos

O apelo silencioso da sociedade - em buscar os postos com preços mais baixos - também surte efeito. Os postos que reajustaram os valores junto às bombas, na última segunda-feira, apresentam uma queda no movimento. A baixa chega a 20% do fluxo no Posto Senador Shell, da Mor Gouveia, em Cidade da Esperança, disse o proprietário Marcos Esmeraldo. O reajuste que elevou de R$ 2,790 para R$ 3,060 o preço da gasolina aditivada no local tem causa, explica Marcos Esmeraldo, no reajuste do ICMS e nos valores repassados pela distribuidora. “Os custos repassados pela distribuidora que nos últimos 30 dias superior os R$ 0,30 por litro”. Apesar do posto vazio, a carga de tributação e custos impede uma redução dos preços. “”Não temos como recuar sem ficar no prejuízo”, afirma.

O empresário Francisco de Assis Aquino Godin, do Posto BR Monte Belo, em Neópolis, também sente a queda estimada em 30 a 35% nas vendas na última semana. “Acredito que em função do apelo popular, a Petrobras deve reaver o reajuste e a tendência natural com a moagem da cana nas usinas é que, em 30 dias, os preços baixem”, prevê.

Sem reajuste, filas se formam à entrada do posto localizado no Hipermercado, na avenida João Medeiros Filho, na zona Norte da cidade. O gerente do posto, que não será identificado, explicou que os R$ 2,72 pelo litro da gasolina obedece a uma política da rede de manter os preços abaixo da concorrência. “Como ainda tem postos nessa região com preços na média de R$ 2,75, estamos praticando esse preço”.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários

  • nilo.miranda

    Segundo pesquisas fornecidas pela midia, o Brasil é o 3º produtor mundial de petróleo, segundo o governo brasileiro, nós somos autosuficientes em produção de petróleo, então nada justifica o preço alto dos combustiveis no Brasil, a alegação da Petrobras que etanol é quem encarece o preço da gasolina também não convece, pois pelo que me consta o Brasil inventou a alcool combustivel, portanto isso é conversa prá boi dormir, nós temos é que boicotar mesmo essa estatalzinha que usa o nome de petroleo brasileiro somente para esplorar nos brasileiros, nota zero para ela, e vamos continuar na luta pois somos brasileiros e não desistimos nunca.

  • alcebiadesneto

    É isso aí! Temos realmente que agir, pois não tem ninguém por nós. Um país que tem tudo para ser uma potência, jamais será, já que explora o seu povo. É uma vergonha, uma falta de respeito com os consumidores que ficamos reféns desse cartel.

  • boriscasoy75

    AHAHAHHA!!! A PETROBRAS REAVER OS PREÇOS????KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK //// ELES NÃO AUMENTAM DESDE 2009 FILHO, VEM COM ESSA NÃO QUE A CULPA É DE VCS, DONOS DE POSTOS, E 30 DIAS NÃO VAI SER O PREJUÍZO DE VCS NÃO, VÃO SER 90 DIAS DE BOICOTE!!!! PREPARE SEUS BOLSINHOS LINDINHOS!!!

  • moreiralimag

    Indo na contra mão do postura ovina, copiada das mansas ovelhas, alguns brasileiros que não são os analfabetos funcionais que compõem o grosso da nossa sociedade, está se manifestando contra os desmandos desrespeitos que praticam contra uma população sem tradição de luta pelos direitos. PARABENS, seria ótimo se esse comportamente fosse extendido para os abusos cometidos pela corja politica.

  • rayssa_gomes

    Eu apoio!

  • rmoutinho

    Como o posto da Av.João Medeiros Filho não é de um adminstrador da cidade, o Kartel não pode agir sobre ele!