Bolsonaro diz que há futuro para parcerias com Biden

Publicação: 2021-01-21 00:00:00
O presidente Jair Bolsonaro cumprimentou ontem Joe Biden pela posse como 46º presidente dos Estados Unidos e disse ter expressado, por meio de uma carta enviada a ele, a "visão de um excelente futuro para a parceria Brasil-EUA". Segundo Bolsonaro, a relação entre os dois países é "longa e sólida" e se baseia em "valores elevados, como a defesa da democracia e das liberdades individuais". Ele dedicou trecho da carta para abordar a questão das mudanças climáticas e o Acordo de Paris.

Créditos: Alan Santos/PR

A pronta manifestação do presidente brasileiro representa uma revisão da forma como ele vinha se comportando no processo eleitoral americano.

Bolsonaro foi um dos últimos chefes de Estado a reconhecerem a vitória de Biden, ao lado do presidente da Rússia, Vladimir Putin, e do presidente do México, Andrés Manuel López Obrador. Com base na apuração dos Estados, a imprensa dos Estados Unidos projetou, em 7 de novembro, a vitória de Biden. Só no dia 15 de dezembro, o Ministério das Relações Exteriores divulgou uma nota reconhecendo o resultado. Durante o período eleitoral americano, Bolsonaro disse que apoiava a reeleição de Donald Trump. Chegou a afirmar que viajaria a Washington para a cerimônia de posse.

"Sigo empenhado e pronto para trabalhar pela prosperidade de nossas nações e o bem-estar de nossos cidadãos", escreveu Bolsonaro em sua conta oficial do Twitter. Na carta divulgada ontem, o presidente brasileiro diz ser "grande admirador dos Estados Unidos" e que, desde de que assumiu o poder no Brasil, passou a "corrigir" o que chamou de "equívocos de governos" anteriores que "afastaram o Brasil dos EUA".

Na sequência do documento, cita relações bilaterais entre os dois países no campo econômico, tecnológico e do desenvolvimento sustentável. Bolsonaro dedica um trecho da carta para falar sobre mudanças climáticas, proteção ambiental e Amazônia.

"Estamos prontos, ademais, a continuar nossa parceria em prol do desenvolvimento sustentável e da proteção do meio ambiente, em especial a Amazônia, com base em nosso Diálogo Ambiental, recém-inaugurado. Noto, a propósito, que o Brasil demonstrou compromisso com o Acordo de Paris com a apresentação de suas novas metas nacionais", diz Bolsonaro na carta.

O tratado assinado por 195 países estabelece esforços conjuntos para tentar conter o aumento da temperatura do planeta a menos de 2°C até o fim do século. Horas após tomar posse e cumprindo uma promessa de campanha, o novo presidente americano assinou 17 ordens executivas, incluindo o retorno dos EUA ao Acordo de Paris. Em 2019, no primeiro ano do seu mandato, Bolsonaro disse que, "por ora", o Brasil continuaria no acordo.

Em um dos debates com Trump durante a disputa presidencial, o então candidato Joe Biden fez críticas ao desmatamento na Amazônia. Ele disse que "começaria imediatamente a organizar o hemisfério e o mundo para prover US$ 20 bilhões para a Amazônia, para o Brasil não queimar mais a Amazônia".