Bondinho de Santa Cruz deverá ser inaugurado em 2021

Publicação: 2020-10-20 00:00:00
Cláudio Oliveira
Repórter

O Teleférico de Santa Cruz, que conduzirá peregrinos da Igreja Matriz ao Santuário de Santa Rita de Cássia, na região do Trairi potiguar, poderá ser inaugurado no final de 2021 e será operado através de Parceria Público Privada (PPP). Os bondinhos e demais equipamentos chegaram à cidade no último domingo (18) para serem instalados no complexo turístico religioso, onde está a maior imagem católica do mundo, com 56 metros de altura, superando o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro.
Créditos: CEDIDABondinhos irão percorrer aproximadamente um quilômetro entre a sede da Igreja Matriz e o Santuário de Santa Rita de CássiaBondinhos irão percorrer aproximadamente um quilômetro entre a sede da Igreja Matriz e o Santuário de Santa Rita de Cássia
A aquisição do teleférico envolveu uma arrojada licitação internacional e um investimento no valor de cerca de R$ 14 milhões. Após iniciado o processo de montagem, a previsão da Secretaria Municipal de Turismo de Santa Cruz é de que os bondinhos entrem em operação até final de 2021 ou início de 2022. Os maquinários, pesando cerca de 78 toneladas, foram levados em carretas que saíram do porto de Salvador, após terem sido embarcados na Suíça, e foram recebidos com missa e festa pela população, além de políticos que ajudaram a viabilizar o projeto.

O teleférico vem se destacando no cenário brasileiro como um importante equipamento de mobilidade. O transporte de pessoas é realizado através de cabo aéreo com movimento unidirecional e contínuo em dois sentidos de linha. Em Santa Cruz, seis bondinhos, nas cores verde e vermelho, cores da bandeira da cidade, vão levar visitantes por 960 metros, desde a Igreja Matriz até o Alto de Santa Rita.

A secretária de Turismo da Santa Cruz, Marcela Pessoa, informou que a próxima etapa da obra será a implantação das torres metálicas e montagem dos equipamentos. “A expectativa é de que, após inaugurado, o fluxo de turistas aumente e as atividades econômicas da cidade sejam ampliadas, como a rede hoteleira, restaurantes, entre outros", elencou. A nova estrutura vai otimizar o potencial turístico da região, facilitando a mobilidade da população local e dos visitantes, além de contribuir para geração de emprego e renda.

Para a chegada dos bondinhos à cidade foram necessários esforços e articulação política. O primeiro passo para a concretização do empreendimento aconteceu com a entrega do projeto executivo pela ex-governadora Rosalba Ciarlini à então prefeita de Santa Cruz, Fernanda Costa, em março de 2014. A ideia de instalar o teleférico partiu do deputado Tomba Farias, ex-prefeito da cidade que, em 2010, inaugurou o Santuário e a estátua de Santa Rita de Cássia, padroeira do município, que é famoso entre os norte-riograndenses por sua religiosidade. 

“Não foi fácil, mas conseguimos. Foi preciso fazer uma licitação internacional num processo complexo. Os equipamentos tiveram que ser comprados em nome do município, e não de empresas, para que pudéssemos diminuir R$ 1,8 milhão em impostos. Tivemos que fazer seguro de translado terrestre e buscar autorização da Câmara para garantir este seguro. Com isso, nos tornamos referência nesse processo de compra internacional", explicou o deputado.

Ele ressaltou que foi necessária articulação em Brasília, função abraçada pelo ex-deputado federal e ex-ministro do Turismo,  Henrique Alves, a quem Tomba atribui parte da responsabilidade pela concretização do projeto. Henrique Alves acompanhou todo o processo para a liberação dos recursos federais. Em 2012, ainda como deputado federal, levou o então ministro do Turismo, Gastão Vieira, a um sobrevoo de helicóptero pelo Santuário para convencê-lo sobre o projeto do teleférico. 

“Tomba idealizou e eu me engajei nessa ideia. O ministro ficou extasiado com o que viu. Depois disso ficou convencido da necessidade do teleférico. Foi na gestão dele que os recursos foram destinados", contou Henrique Alves. Ele explicou também que, como o valor era muito alto e o Ministério do Turismo tem um dos menores orçamentos, a verba passou a ser liberada em parcelas. Ao se tornar presidente da Câmara, Henrique usou a influência conquistada ao longo de anos de vida pública para viabilizar parte dos recursos.

 Depois, ao assumir o Ministério do Turismo, prosseguiu com a liberação da verba. “Quando deixei o parlamento, o senador José Agripino se manteve na luta de pressionar a liberação do dinheiro e conseguimos. Foi uma travessia difícil, mas obstinada e abençoada por Santa Rita", declarou o ex-ministro Henrique Alves.

Recursos
Ainda será necessária a liberação de R$ 1,4 milhão, segundo Henrique Alves, mas ele acredita que tendo os potiguares Rogério Marinho e Fábio Faria, nos Ministérios do Desenvolvimento Regional e no de Telecomunicações, respectivamente, a situação se torna mais fácil. Para ele, o turismo religioso de Santa Cruz vai passar por uma grande transformação quando os bondinhos entrarem em funcionamento. “Será uma verdadeira revolução. Um verdadeiro marco que vai transformar e destacar Santa Cruz e Santa Rita de Cássia no cenário internacional, além de fomentar a economia da cidade e do Estado", declarou o ex-ministro.

Turismo será impulsionado na região
A partir da construção da estátua de Santa Rita de Cássia, o turismo religioso de Santa Cruz só aumentou com a visitação de turistas de todo o país. O deputado estadual e ex-prefeito da cidade, Tomba Farias, ressaltou que a cidade passou de 25 mil habitantes para 42 mil desde que ele foi prefeito. Além disso, eram 120 leitos na hotelaria local e agora são mais de 780 leitos. Faculdades? Não havia nenhuma e hoje são seis instituições com Ensino Superior.

“Esse crescimento aconteceu mediante o turismo religioso que foi impulsionado e é referência para o Estado, para o país e para o mundo. Com a chegada do teleférico vai ganhar mais destaque e aumentar a geração de emprego e renda", declarou o deputado. Ele disse que a ideia é ir além, com a  construção do mercado público de referência para que o turista passe mais tempo e deixe mais recursos na cidade.

“Temos a maior feira livre do Estado. Um forte potencial em antiguidades, inclusive com um museu de antiguidades na zona rural. Vamos lutar para criar um roteiro turístico na região", disse. Esse roteiro incluiria as cidades vizinhas e seus atrativos, como Tangará, que já desfruta da atividade turística de Santa Cruz, Sítio Novo, com o Castelo de Zé dos Montes, e Passa e Fica, com a famosa Pedra da Boca.