Bottas quer ser a atração principal mais uma vez

Publicação: 2017-07-16 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Mais que em outras provas da Fórmula 1, a largada de hoje, em Silverstone, na Inglaterra, será observada com mais atenção ainda. Isto devido a polêmica saída de Bottas, que lhe rendeu acusações de fraude na corrida anterior. O finlandês, que perdeu cinco lugares no Grid, desafiou os concorrentes a adotar seu método polêmico hoje a partir das 9h quando as luzes vermelhas se apagarão.

Além dessa polêmica, outra agita o mundo da Fórmula 1. A corrida de hoje, pode não se repetir em Silverstone, um dos templos da categoria, no próximo ano e em outros seguintes. O Clube Britânico de Pilotos de Corrida (BRDC, na sigla em inglês) alegou que o valor cobrado pela F-1 para sediar a corrida estava aumentando ano a ano, acima das capacidades do grupo, que não recebe subsídio governamental para sustentar o GP da Inglaterra.
O piloto da Mercedes perdeu cinco posições no Grid de largada por ter tido problemas no carro
O piloto da Mercedes perdeu cinco posições no Grid de largada por ter tido problemas no carro

O BRDC apontou perdas em 2015 de 2,8 milhões de libras (R$ 10,5 milhões, na cotação atual) e de 4,8 milhões de libras (R$ 20,2 milhões) em 2016. A taxa anual dos promotores para o GP aumentou de 11,5 milhões de libras (R$ 48,3 milhões) em 2015 para 16,2 milhões de libras (R$ 68,1 milhões) para esta temporada. De acordo com os organizadores da corrida, o valor saltará para 25 milhões de libras (R$ 105 milhões) até 2026, o último ano do contrato atual.

Apesar disso, os donos da categoria afirmaram que o local tem contrato fechado até 2019 e que existe o interesse em manter a corrida da Inglaterra, embora tenham revelado que existe uma espécie de “fila” de cerca de 30 cidades solicitando corridas.

Alheio a essa polêmica e de olho no título, que antes era apenas um sonho distante, Bottas chegou a desafiar os concorrentes a tentar largar hoje usando seu método de antecipação do apagar das luzes de largada. "É claro que todos estão livres para tentar adivinhar quando as luzes vão se apagar", afirmou o piloto, que faturou a sua segunda vitória da carreira na etapa passada. "Para largar daquele jeito, você com certeza precisa apostar um pouco. Para se mover exatamente no momento em que as luzes se apagam, você tem que assumir um pouco dos riscos, ao invés de ser cauteloso", complementou o piloto da Mercedes

Atualmente Bottas está na terceira colocação no Mundial de pilotos e soma 136 pontos, contra 151 do inglês Lewis Hamilton, seu companheiro de Mercedes, e contra 171 do líder alemão Sebastian Vettel, da Ferrari.

A pista


O circuito de Silverstone passou por diversas mudanças nas últimas décadas. A versão atual tem 5,891 km, com um total de 18 curvas: dez para a direita, oito para a esquerda. A corrida terá 52 voltas de duração.

A nova reforma, em 2010, deixou o traçado a um pouco mais lento do que antigamente. Mesmo assim, Silverstone é considerada uma pista de média para alta velocidade. No ano passado, a pole position teve velocidade média de 237,5 km/h.

Em 2017, com os carros mais velozes, a expectativa é de um desafio ainda maior. Por exemplo, estima-se que a curva Copse deva ser feita a 290 km/h (25 km/h mais rápido do que em 2016.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários