Brasil cai em competitividade

Publicação: 2016-05-31 00:00:00
São Paulo (AE) - O Brasil perdeu mais uma posição no ranking global de competitividade do instituto IMD, com participação da Fundação Dom Cabral (FDC), e agora está no 57º lugar entre 61 nações analisadas, à frente de quatro países: Croácia, Ucrânia, Mongólia e Venezuela. De acordo com os dados divulgados ontem, o País desceu 11 posições desde 2012, quando era o número 46 da lista.

Entre os fatores que pesaram contra a avaliação do País está a crise política enfrentada em 2015. Com a turbulência econômica, que fez o Produto Interno Bruto (PIB) recuar quase 4% no ano passado, o Brasil também perdeu força dentro do comércio internacional.

Segundo José Caballero, executivo do IMD responsável pela pesquisa, o levantamento não inclui a recente mudança de governo, com a posse de Michel Temer, que substituiu  Dilma. A pesquisa foi finalizada em abril.

Apesar de o Brasil ter piorado no ranking geral e em vários indicadores, Caballero vê alguns avanços no País. Um deles foi na infraestrutura. "O Brasil cresceu cinco posições neste setor, de maneira geral. Em acesso à água, foram oito posições, enquanto em qualidade do transporte aéreo foram seis posições."

Além das questões como a crise econômica e a instabilidade política, o pesquisador também explicou que as questões estruturais - como qualidade da educação, distribuição da arrecadação de impostos e burocracia - continuam a prejudicar a competitividade do País. Os paíse mais competitivos da lista são Hong Kong, Suíça, Estados Unidos, Cingapura e Suécia.