Brasil passa de 400 mil contaminações

Publicação: 2020-05-28 00:00:00
A+ A-
O Brasil contabilizou 1.086 novas mortes causadas pela covid-19 nas últimas 24 horas, elevando o total de óbitos pela doença para 25.598, segundo o Ministério da Saúde.  De ontem para hoje, houve registro de 20.599 novos casos de infecção pelo novo coronavírus e agora são 411.821 pessoas contaminadas, sendo registrados mais de 100 mil novos casos em menos de uma semana.

Créditos: Divulgação


Do total de óbitos confirmados, somente 500 ocorreram nos últimos três dias. O restante aconteceu em período anterior, mas só teve agora a confirmação. O ministério informou que outros 4.108 óbitos estão em investigação por suspeita de covid-19.

A pandemia do novo coronavírus se tornou a principal causa de mortes por dia no País. O maior número de infecções continua em São Paulo, com 89.483 diagnósticos e 6.712 mortes. O Rio tem 42.398 casos e 4.605 óbitos. No Ceará são 37.275 infecções e 2.671 mortes.
O Brasil segue ocupando a segunda posição entre as nações com mais casos de covid-19 no mundo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, que acumula mais de 1,6 milhão de infectados, segundo dados compilados pela plataforma da Universidade Johns Hopkins até às 19h desta quarta-feira. 

Na lista das nações com mais mortes acumuladas, o Brasil ocupa a 6ª posição. Só fica atrás de Estados Unidos (100.047), Reino Unido (37.542), Itália (33.072), França (28.599) e Espanha (27.117).

Em todo o mundo, a covid-19 já infectou 5,6 milhões de pessoas, causando a morte de 353 mil delas, também de acordo com os dados da Universidade Johns Hopkins. Depois do início do surto na China em dezembro, pico na Europa e nos Estados Unidos em março e abril, a América do Sul passou a ser considerada o novo epicentro da doença pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Incidência 
Estado mais afetado pelo novo coronavírus no Brasil, São Paulo tem 6.712 mortes pela covid-19 e 89.483 pessoas infectadas, segundo informações divulgadas nesta quarta-feira, 27, pelo governo estadual. Nas últimas 24 horas, foram registrados 289 novos óbitos e 3.466 casos confirmados. Na terça-feira, 26, o Estado ultrapassou a China em número de diagnosticados, uma vez que, naquele momento, o país asiático contava com 84.102 casos, de acordo com dados da Universidade John Hopkins.

Depois de viver uma interiorização da epidemia ao longo do tempo, São Paulo tem, pelo menos, um caso em 515 cidades, das quais 251 tiveram, no mínimo, uma morte causada pela covid-19. O governo informa que há 12,3 mil pessoas internadas no Estado, sendo 4.686 em UTI e 7.707 em enfermaria.

Até o momento, a taxa de ocupação dos leitos de UTI destinados ao atendimento de infectados pelo novo coronavírus é de 73,2% no Estado e 87,6% na Grande São Paulo. Do total de pessoas que precisaram ser hospitalizadas, 18.245 já receberam alta.

O governo estadual vem adotando medidas com o objetivo de aumentar o índice de isolamento social e, com isso, frear a propagação do novo coronavírus, o que daria ao sistema de saúde fôlego para atender os casos que surgissem. A última aposta foi antecipar os feriados de Corpus Christi (11 de junho), da Consciência Negra (20 de novembro) e da Revolução Constitucionalista (9 de julho) para os dias 20, 21 e 25 de maio, respectivamente.

O sistema que monitora a adesão ao isolamento apontou que os índices aumentaram pouco nesses dias do "feriadão" em comparação aos mesmos dias úteis da semana anterior. Nesta terça-feira, um dia após o fim do feriado prolongado, o Estado de São Paulo registrou um índice de isolamento de 47%, quatro ponto porcentuais a menos do que no dia anterior. Já na capital paulista, foi notificado um índice de 49% de isolamento ontem em comparação aos 53% registrados no dia anterior.

Mesmo com esses dados, o governador do Estado de São Paulo, João Doria, anunciou nesta quarta-feira um novo modelo de quarentena, que foi prorrogada até o dia 15 de junho, mas terá flexibilização em algumas regiões a partir de 1º de junho para a retomada da atividade econômica. Segundo o plano, shoppings e lojas da cidade de São Paulo, por exemplo, já poderão reabrir na próxima segunda-feira, mas com restrições.

O Estado do Rio de Janeiro registrou 244 mortes por covid-19 entre terça e quarta-feira, 27, e com isso chegou a 4.605 óbitos pela doença desde o início da pandemia. Outros 1.193 mortes estão sob investigação. Ao todo, 42.398 pessoas já foram diagnosticadas com a doença no estado.

Epicentro do novo coronavírus no Rio de Janeiro, a capital fluminense contabiliza 3.135 óbitos por covid-19. No Rio, 24.750 já foram infectadas. 






Deixe seu comentário!

Comentários