Brasil
Brasil tem 49,1% da população com ao menos uma dose
Publicado: 00:00:00 - 05/08/2021 Atualizado: 00:41:07 - 05/08/2021
O Brasil chegou ontem a 104.049.682 vacinados com ao menos a primeira dose contra a covid-19, o equivalente a 49,14% da população total. Enquanto isso, 43.649.022 pessoas receberam duas doses ou dose única de vacinas anticovid, o que corresponde a 20,61% da população.

KEVIN DAVID/A7 PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Em 24 horas, o País aplicou 2,2 milhões de doses de vacinas

Em 24 horas, o País aplicou 2,2 milhões de doses de vacinas


Em 24 horas, o País aplicou 2.209.344 doses de vacinas contra a doença. Ao todo, foram administradas 1.344.195 primeiras doses, 838.229 segundas doses e 26.920 doses únicas. Os dados foram reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa junto a secretarias de 26 Estados e Distrito Federal. Ontem, em especial, o Estado do Ceará não reuniu as informações a tempo.

Em termos proporcionais, São Paulo continua sendo o Estado que mais imunizou com primeira dose, com 59,48% dos habitantes parcialmente imunizados. Por sua vez, o Mato Grosso do Sul tem a maior porcentagem da população completamente imunizada: 33,92%.

Ontem, o governador João Doria (PSDB), informou ontem ter enviado um ofício ao Ministério da Saúde pela não entrega de metade das doses previstas da vacina contra a covid da Pfizer na terça-feira. Segundo ele, 228.150 doses do imunizante não foram enviados, "sem nenhuma justificativa" do governo federal. À noite, o ministério contestou o governo paulista, dizendo que houve uma "compensação" (de retiradas anteriores). Doria qualificou a situação de uma "decisão arbitrária" e uma "quebra do pacto federativo" - e pediu que o ministério envie "imediatamente" as vacinas. 

"Com menos que o prometido, o Ministério da Saúde compromete o calendário de vacinação de crianças e adolescentes no Estado, que deve começar em 18 de agosto", disse Doria.

Eduardo Ribeiro, secretário executivo da Secretaria Estadual da Saúde, lembrou que São Paulo costuma receber mais de 20% dos envios das vacinas. "Esta ação não pune o governo de São Paulo, mas a população: 228 mil pessoas podem ter a imunização postergada, a não ser que (o governo federal) abasteça ainda hoje o Estado."

Segundo o secretário Jean Gorinchteyn, o ofício enviado ao ministro reivindica a entrega das doses faltantes em 24 horas. 





Leia também