Brinquedoteca oferece vaga para filha de universitária

Publicação: 2018-03-09 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Entre fazer juízo de valor, compartilhar postagens ou cobrar ações para punir possíveis abusos, uma mulher de Natal escolheu a solidariedade. Após a notícia sobre a estudante universitária que foi proibida de levar a filha às aulas na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), divulgada na quarta-feira (7), a proprietária de um espaço voltado às crianças ofereceu vaga na creche para que a jovem possa deixar a filha durante todo o período em que estiver em aulas.

Unidade infantil funciona até às 18h, mas recebe crianças depois desse horário por agendamento
Unidade infantil funciona até às 18h, mas recebe crianças depois desse horário por agendamento

Com um espaço de brinquedoteca e de aprendizagem, a educadora Mila Titan se solidarizou com a situação de Waleska Lopes de Faria, de 24 anos, que precisa levar a filha de cinco anos às aulas na UFRN porque não têm com quem deixá-la no turno da noite, além de também não ter condições de pagar por espaço para que a filha fique durante o período em que está assistindo às aulas.

A universitária foi proibida de levar a criança pelo professor Alípio de Souza Filho, que justificou a atitude afirmando que a presença da criança estava distraindo a turma e a própria mãe durante as aulas no curso de Ciências Sociais.

"Independente do que ache da situação, que não vou julgar, mas quando vi a notícia, de imediato eu me coloquei no lugar dela como mãe e me coloquei no lugar de educadora com relação à criança", explicou Mila Titan, proprietária da brinquedoteca Sapiens, em Natal.

Através das redes sociais, Mila Titan deixou o número à disposição para que a universitária entre em contato e utilize o espaço da brinquedoteca para que a filha possa ficar durante o período das aulas. Para Mila, é importante também para a criança um local adequado para permanecer durante o turno da noite.

"É terrível (como mãe) não ter alguém para deixar o filho, alguém que possa contar. Para a criança também é péssimo. Uma criança ficar acordada em uma sala de aula de adultos até as 22h, por mais que ela seja um amorzinho, mas o corpinho cansa. Por isso que me coloquei à disposição para ajudar", explicou Mila Titan.

Segundo a educadora, a situação da universitária não é incomum e por isso o seu estabelecimento tem esse serviço para também receber as crianças durante o período da noite.  "É uma brinquedoteca e espaço de aprendizagem, onde acompanhamos pedagogicamente. Funcionamos de 8h às 18h e, após as 18h, com agendamento. Às vezes, as mães precisam ir a um supermercado, médico e não têm com quem deixar os filhos, e é ainda pior depois das 18h. E é o que estamos oferecendo", explicou Mila Titan.

"É uma casa para a criança brincar. Não tem nada de luxo. As coisas são feitas pelas crianças e para as crianças. Não temos um dormitório. Todos os dias são 'noites do pijama', com todos em colchões na sala com livros, vídeos, fantoches, brincando e também descansando, caso fiquem cansados", explicou.

Sobre o motivo de ter oferecido ajuda à universitária, Mila Titan disse que a iniciativa não é o auxílio pelo fato de ser uma mulher nessa condição, e sim por ser uma pessoa. Para ela, é preciso que se pense no próximo o tempo todo e se ajude sempre quem precisar.

"O mundo está vivendo um momento de carência de amor ao próximo, falta de solidariedade. As pessoas estão impacientes, intolerantes, não se colocam no lugar dos outros. Muitos apontam o dedo o tempo todo. Muitas vezes, até o fato de não atrapalhar já é ajudar, mas será que é o suficiente? Se eu tenho a possibilidade de ajudar, por que não?", explicou.

A educadora conseguiu, ontem, falar com a estudante universitária e acredita que até a próxima semana terá um retorno para os próximos encaminhamentos. Disse que dará o apoio e receberá a criança durante o tempo que for necessário, “seja durante esse período (letivo), seja durante todo o curso".


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários