'Burgers' pra toda ocasião

Publicação: 2017-09-15 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Tádzio França
Repórter

Colaborou Cinthia Lopes
Editora


O hambúrguer foi o petisco que mais saiu valorizado da onda gourmetizadora que assola a gastronomia desde o começo da década. Aquele recheio entre os pães redondos passou a ser discutido entre chefs e bons de garfo de todas as idades e segmentos, à procura da melhor combinação de temperos, de receitas criativas, e também das melhores carnes, o ponto ideal, o tamanho, a gramatura, o 'blend' de carnes, a valorização da produção artesanal. Tudo isso  agora é importante na hora de saborear esse popular lanche. Ou não, conforme seu apetite e disposição. Está mais fácil do que nunca saborear um bom hambúrguer.
A gourmetização serviu para aumentar o padrão de qualidade da iguaria
A gourmetização serviu para aumentar o padrão de qualidade da iguaria

O chef de cozinha e professor do Senac Warison Albino acredita que a gourmetização serviu para aumentar o padrão de qualidade e tornar as pessoas mais exigentes  na hora de consumir. “O natalense está reeducando o paladar para o sanduíche. Já sabe que o hambúrguer ideal é aquele mais rosado, em vez do bem passado. É a suculência da gordura que guarda o melhor sabor do burger”, afirma.

Warison conta que em 2015 pôde conhecer e aprender bastante coisa em hamburguerias de Nova York e São Paulo, onde esteve. “Entendi que o melhor percentual de gordura nas carnes para hambúrguer deve ficar entre 17 e 20%. Também é bom para harmonizar ingredientes doces e salgados. Cebola caramelizada e queijo, tomate, pesto de manjericão, bacon, a gente pode brincar com esses sabores e ficar ótimo”, diz. Warison foi chef consultor do The Box, primeiro food truck natalense, já desativado. O hambúrguer era o carro-chefe.

As estrelas do Wayne's
O Wayne's Burger Star é um exemplo de como o hambúrguer evoluiu em popularidade e qualidade. Em apenas quatro anos, a empresa potiguar já se expandiu para cinco estados do país, e só em Natal tem seis lojas. “A gente investiu em qualidade acima de tudo. E isso é muito importante no mercado de sanduíches e burgers (ou burguers) hoje em dia”, afirma o proprietário Fred Lima. Apesar da produção em escala industrial de hoje em dia, Fred ressalta que o hambúrguer mantém o mesmo padrão e sabor da feitura artesanal.

Batizado de Bruna, burger com geleia de bacon é hit da Wayne’s
Batizado de “Bruna”, burger com geleia de bacon é ‘hit’ da Wayne’s

O sanduíche mais vendido da Wayne's atualmente é o 'Bruna', que leva a geleia de bacon, um dos hits da casa. Atualmente também foi lançado um hambúrguer de bacon, sonho entre os muitos fãs do embutido suíno. A hamburgueria também lançou uma linha 'fit', com hambúrguer de frango com teor reduzido de gordura, pão integral, e queijo light. Os burgers variam de 80 a 220 gramas, variando conforme a linha. Com tanta hamburgueria no mercado, Fred ressalta que o melhor a fazer é manter o padrão de qualidade, e lançar novidades aos poucos.

Rapadura tem pé no Nordeste e até vegano
Há um ano e dois meses na área, o Rapadura Hambúrguer Brasileiro aplicou uma pegada regional à produção artesanal. E conquistou muitos fãs e paladares com seu hambúrguer suculento de 180 gramas, e o pão artesanal feito na casa, sabores rapadura, jerimum, macaxeira, e tradicional.  Nos recheios seguem ingredientes como tartar de tomate, mussarela, gorgonzola, picles de maxixe, chuchu, cebola caramelizada, entre outros.

A casa abriu há um mês sua primeira filial, agora em Petrópolis – a matriz, em Ponta Negra, já é point da zona sul. O proprietário Maurício Manzano conta que novidades vieram junto com a nova casa. “Criamos um hambúrguer de carne de caju, que é servido no prato sem pão com uma cama de alface, lentilha rosa, shitake puxado no tarê, e queijo. Pode ser vegano ou vegetariano, só tirar o queijo”, explica. Também foi criado um cachorro-quente, o 'rapa dog', servido em pão de macaxeira na chapa, creme de queijo, carne moída, e linguiça artesanal (by Chibério). “A gente sempre agradou por nossa pegada sustentável, enxuta, e criativa”, diz.

Festival no Outback
A rede Outback Steakhouse  criou um Festival de Burgers só para apresentar as três novidades que agora fazem parte do cardápio. São elas o 'bloomin’ picanha burger', de picanha com tiras de bacon, smoked mayo, molho Flame, e cebola Bloomin’Onion no recheio; o 'Dark Mushrooms Burger', em pão australiano com shiitake salteado, e o 'Firecracker shrimp burger', traz suculento burger com camarões empanados envoltos um molho picante com toque adocicado. Todos acompanham as batatas fritas da casa.

O Outback serve Bloomin picanha burger, Dark Mushrooms Burger e o Firecracker shrimp. No Wayne’s, a novidade é o burger suíno
Batizado de “Bruna”, burger com geleia de bacon é ‘hit’ da Wayne’s

Criatividade a toda prova
O Blackitchen, no CCAB Petrópolis, foi um dos mais ousados inovadores no setor de burgers gourmet na cidade. Começou pelos pães artesanais, que têm sabores como beterraba com cenoura, rapadura, brioche do sertão, milho com leite de coco, algas com shoyu, e espinafre com manjericão. As carnes dos burgers foram pensadas para harmonizar com os pães. Um dos favoritos da casa é o 'sertanejo graxa', que combina pão brioche, burger de cordeiro com a graxa (sobra do molho), farofa de nata, bacon, e molho de cheiro verde. As carnes dos burgers vão além dos blends comuns, e ter variações com salmão com camarão, ou galinha caipira. Os sanduíches são vistos como pratos, e não lanche fast food.

Veteranos
A rede natalense Pittsburg está no mercado há nada menos que 33 anos. “A gente já era artesanal, com bons temperos e ideias desde sempre. Só não tínhamos o discurso gourmetizado de hoje, pois isso não existia”, afirma Alan Cardim, gerente de marketing da empresa. Hoje em dia o Pitts reafirma seu pioneirismo no setor em Natal, e segue se atualizando para competir num mercado repleto de jovens concorrentes. A empresa criou uma linha 'premium' com burger de 150 gramas, e versões feitas de carne de sol desfiada com queijo, filé de camarão, e cordeiro.

Alan ressalta o processo de produção artesanal que sempre foi marca registrada da empresa. “Jamais trabalhamos com hambúrguer congelado. Tudo é feito na hora, sempre privilegiamos esse estilo de trabalhar, antes dele virar obrigação entre os descolados”, afirma. Para Alan, o desafio agora é atrair a nova geração, que tem agora muitas opções e tecnologia para se informar. “Temos a identidade forte a nosso favor”, ressalta.

Trio exótico
A Mercearia Sanduíches, em Lagoa Nova, também investiu em diferenciais há 13 anos. A casa aposta na produção artesanal que deixa o produto mais saudável e criativo. O cardápio é grande, mas tem destaques como o burger “trio”, que usa um blend de carnes de cordeiro, frango e porco. Há sanduíches 'especiais', como os de cordeiro provolone e o filé gorgonzola; 'tradicionais' como os x-bacon, e o 'leves' de frango indiano, chester defumado, e presunto com abacaxi.

Serviço
Wayne's Burger Star. Tel.: 2010-2500
Rapadura Hambúrguer Brasileiro. Tel.: 2040-1781
Blackitchen. Tel.: 2010-0785
Mercearia Sanduíches. Tel.: 3615-6200
Pittsburg. Tel.: 3211-2320
Jack Burger Sanduicheria. Tel.: 3322-4444
Gourmet Burger. Tel.: 3207-2985
Outback Natal
Shopping Midway Mall, 3º piso . Te.: 30252562


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários