Câmara Criminal julga recursos de envolvidos em sequestro, extorsão e roubo de veículos

Publicação: 2019-05-24 08:54:00 | Comentários: 0
A+ A-
A Câmara Criminal do TJRN, à unanimidade de votos, voltou a julgar recurso, movido pelos advogados de vários envolvidos em delitos, que vão desde roubo de carros, sequestro, extorsões e, desta vez, um julgamento relacionado ao tráfico e associação para o tráfico de entorpecentes, previstos nos artigos 33 e 35 da Lei 11.343/2006. O órgão julgador deu, na atual decisão, parcial provimento ao apelo de João Olimpio, definindo a pena para três anos e 10 meses de reclusão, em regime fechado, e atendeu ao apelo do Ministério Público para condenar o acusado Francisco Canindé à pena de três anos, 10 meses e 20 dias de reclusão.

A decisão na Câmara também condenou o réu Expedito Dias pela prática do crime do artigo 35 e o réu Clidiano da Silva pela prática do mesmo delito, mas com a pena de quatro anos de reclusão em regime inicial fechado, reformando a sentença.

Os crimes resultaram em várias operações policiais, integradas com equipes de outros estados, como a “Operação Ilha da Fantasia”, a qual contabilizou, à época, a apreensão de uma adolescente, liberada em seguida e que, anos depois, já maior de idade, voltou a ser detida e revelou o esquema criminoso.

A adolescente chegou a relatar, à polícia, detalhes de como funcionava o esquema em uma boate no município de Caicó, na qual teria sido, segundo ela, convidada para fazer parte das ações criminosas a convite da esposa de um dos chefes do grupo, que segundo a polícia federal, faz parte da máfia italiana, identificado como Salvatore Borrelli, que foi condenado a 56 anos, 9 meses e 21 dias de prisão e cumpre pena em regime fechado.

Com informações do TJRN



continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários