Câmara mantém feriado da Consciência Negra

Publicação: 2014-09-11 00:00:00 | Comentários: 6
A+ A-
A Câmara Municipal de Natal manteve, por unanimidade, o feriado alusivo ao Dia da Consciência Negra  que havia sido revogado pelo prefeito Carlos Eduardo Alves no último dia 28 de agosto. Após a votação de ontem, os vereadores mantiveram o dia 20 de novembro como feriado para as instituições públicas municipais. “É importante lembrar que o feriado será no âmbito das repartições públicas municipais. As demais instituições públicas e a iniciativa privada estão livres para definir se terão ou não expediente”, explicou o vereador Fernando Lucena. O prefeito havia revogado o feriado após críticas de entidades representativas do comércio e da indústria que alegaram prejuízos com a medida, mantendo a data comemorativa.
Adriano AbreuFernando Lucena foi um dos vereadores a defender feriadoFernando Lucena foi um dos vereadores a defender feriado

O Dia da Consciência Negra elevaria para 16 o número de feriados na capital este ano o que, segundo as entidades empresariais, prejudicaria  a atividade produtiva. Em nota, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Natal (CDL Natal) chegou a chamar a medida de “irresponsabilidade do poder público”.

A entidade lembrou que o ultimo trimestre é o período mais aquecido para o comércio e quando se contrata mais funcionários para as vendas de fim de ano. “Sendo assim, se faz necessários mais dias úteis, e não feriados”, diz a nota, em declaração atribuída ao presidente da CDL, Amauri Fonseca Filho.

Segundo Marcelo Queiroz, presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do RN (Fecomércio-RN), não é possível quantificar os prejuízos  com os feriados durante o ano, mas a adição de mais um prejudicaria o setor.
Emanuel AmaralLegislativo manteve o feriado para as repartições públicasLegislativo manteve o feriado para as repartições públicas

Assim como a Fecomércio, a Federação das Indústrias do RN (Fiern) manifestou apoio às lutas dos negros e destacou a importância das celebrações alusivas à data, mas disse, em nota, que o decreto, se validado, deveria ser feito somente após análises e diálogo junto aos setores atingidos, dentre os quais, as entidades que representam os empreendedores. O texto classificou como inoportuno o decreto, lembrando que o feriado fere o interesse coletivo e compromete a ampliação de postos de trabalho em Natal.

No ano passado, a  Justiça do Paraná decidiu cancelar o feriado da Consciência Negra, e gerou protestos de integrantes de movimentos sociais. A decisão atendeu a pedido da Associação Comercial do Paraná. Os comerciantes alegavam, à época, que o dia parado traria um prejuízo de R$ 160 milhões para a cidade, de acordo com reportagem do telejornal Bom Dia Brasil.

continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários

  • raimundoandredasilva2012

    Aproveito o feriado da Consciência Negra para produzir pela primeira vez uma matéria sobre as minhas artes plásticas (artes africanas). Peço espaço ao Tribuna do Norte para publicar as telas do artista plástico Raimundo André natural de Santo Antônio RN e também escritor.

  • jean.freitas

    A CMA acabou de modificar a lei que regulamenta a criação de feriados. Criou meio feriado. Isso não existe, ou é feriado pra todo mundo ou não é feriado para ninguém. Se era para ser no âmbito da administração municipal, que fosse decretado ponto facultativo. 29 vereadores e parece que a CMN ficou mais burra que quanto eram apenas 21.

  • luizantoniomedeiros

    A Lei Federal limita em 4 os feriados municipais. Natal já tem 4: 6 de janeiro, 6a feira santa, corpus chirsti e 21 de novembro.

  • paulodinizdantas

    isso é que é racismo declarado os negros que trabalham no serviço mole e que ganham salários altos tem direito ao feriado mais o pobre que trabalha no comercio e ganha salário mínimo tem mais é que ficar calado, seria bom um grande protesto e uma boa manifestação dos negros que são trabalhadores.

  • jomais64

    Irresponsáveis acostumados a nada fazer além de demagogia barata e ainda assim continuar ganhando nas costas do povo desinteressado e desinformado que insiste em votar. A prova disso é a unanimidade da votação que uniu todos tentando algum votinho a mais oferecendo a ilusão de mais um feriado e nesse caso feriadão, que como todos os outros não servem para nada além de descanso para quem recebe sem trabalhar e preocupação adiciona l para quem tem que pagar a conta. Por enquanto, pelo que entendi, é só para o funcionalismo municipal mas é preocupante. O fogo segue a pólvora, e quem queira se aproveitar da situação com certeza não falta. Leis que garantem direitos e deveres de qualquer um, independente de raça, religião, condição social, preferência política ou sexual existem e são rigorosas. A preocupação com uma sociedade mais justa para TODOS deve ser diária assim como qualquer prática onde se deseja obter bons resultados. Datas como essas são sempre exigidas por grupos de pessoas que têm na realidade a intenção de alcançar algum benefício indevido, projeção desmerecida ou recuperar prestígio perdido. São movidos pela má fé, pela certeza da inação popular e apoio de demagogos e pessoas que vivem fora da realidade. Exemplo aqui no estado é o feriado religioso de 3 de outubro (mártires) imposto pela igreja católica que a cada dia que passa quer inventar "santos" em todo o mundo na tentativa de recuperar em vão o poder do passado. Na época apoiada pela então governadora Vilma, que pelo seu histórico, dispensa comentários, está aí inútil como tantos outros apenas gerando prejuízos a quem realmente trabalha e é obrigado a pagar toda qualidade de impostos para sustentar uma estrutura pública podre, para dizer pouco. Políticos e afins, grupelhos de hipócritas sob as mais diversas denominações, parem de tentar enganar a população que está cada vez mais sofrida com falta de segurança, saúde e educação, para ficar no básico, e vão trabalhar pelo bem da cidade. Comecem, por exemplo, investigando o CARNATAL. Procurem saber, se é que já não sabem quem ganha com esse evento que utiliza espaço e infraestrutura públicas, perturba e duvido que deixe algo aqui senão prejuízo. Não vale citar dados montados para iludir as pessoas.

  • enoleide

    A Câmara parece ter esquecido que os serviços públicos existem para servir aos cidadãos. Se o feriado exclusivo para os servidores municipais, no entender da Câmara Municipal, não se constitui privilégio, para a população se constitui um descaso. Os cidadãos, que elegem os vereadores e pagam os seus salários e dos servidores públicos municipais terão um dia a menos no calendários de serviços prestados, que diga-se de passagem deixa muito a desejar. A Câmara, por unanimidade, tratou com descaso os cidadãos natalenses. Ou é feriado ou não é!