Câncer Infantojuvenil e seus desafios

Publicação: 2020-09-30 00:00:00
Cláudio Galvão de Castro Junior
Presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica

O câncer infantojuvenil acomete, no Brasil, cerca de 10 mil crianças e adolescentes todos os anos sendo a segunda maior causa de morte entre um a 19 anos de idade no Brasil, perdendo apenas para causas externas como acidentes e homicídios. Só essa informação torna esse problema relevante e digno de atenção, uma vez que, nessa faixa etária, as mortes são pouco frequentes. A prevenção é algo difícil de ser feito, pois a maioria dos casos ainda não tem causas conhecidas, e apenas 10% tem correlação com hereditariedade.

Assim, educar profissionais da saúde e os pais para que suspeitem de sinais associados ao câncer, propiciando um diagnóstico precoce, faz com que os pacientes sejam atendidos com brevidade evitando o crescimento do tumor e o agravamento do quadro. É fundamental o atendimento desses pacientes em centros de referência, por médicos devidamente capacitados, no caso os oncologistas pediatras. Já foi demonstrado em publicações no exterior e no Brasil a importância do atendimento por equipes capacitas.

As instituições de apoio são muito importantes pois na medida que oferecem alojamentos, transporte e cestas básicas para pacientes e familiares, diminuem significativamente taxas de abandono do tratamento, que eram um grande problema há alguns anos.

Infelizmente ainda temos problemas como o subfinanciamento dos medicamentos, particularmente no SUS e dificuldade de acesso aos novos tratamentos, assim como leitos insuficientes para realização do transplante de medula óssea.

Os avanços nas últimas décadas, foram inequívocos, mas podemos e devemos avançar mais para oferecer a todas crianças e adolescentes com câncer o melhor tratamento possível, tanto na rede pública, quanto na rede privada. Isso requer uma grande união de esforços de entidades como a Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica (SOBOPE),  a Confederação Nacional das Instituições de Apoio e Assistência à Criança e ao Adolescente com Câncer (CONIACC), entes públicos e pacientes.








Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.