Cookie Consent
Natal
Caern vai fazer relatório sobre ETE da Rota do Sol
Publicado: 00:00:00 - 07/07/2022 Atualizado: 22:36:30 - 06/07/2022
A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) e Instituto de Defesa do Meio Ambiente (Idema) ainda não concluíram as informações sobre as diligências corretivas cabíveis na Estação de Tratamento de Esgotos (ETE), situada na Rota do Sol, a fim de impedir a continuidade da poluição sanitária detectada no local que foram ocasionadas pelas fortes chuvas do fim de semana passado na Região Metropolitana. Essas informações foram solicitadas pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), mas o prazo para tanto acabou ontem (6), quando a Caern previa liberar a via.

No último domingo (3), após as fortes chuvas caídas em Natal, houve o rompimento do talude e o consequente extravasamento da última lagoa de tratamento da Caern para a Rota do Sol. Essa ETE recebe esgotos dos bairros de Capim Macio, Ponta Negra e parte de Neópolis. Segundo a Caern, a estrutura retém o efluente já tratado que foi parcialmente levado pelo alto volume de água. Desde então, começou o trabalho de recomposição da estrutura, conhecida como talude e a operação com bombas, junto a já existente, para drenar mais rapidamente o excesso de água que invadiu a Rota do Sol.

A limpeza da via começou na tarde de ontem (6) e a estimativa era de concluir até o final da noite, caso não chovesse, podendo haver a liberação do trânsito no local.

Apesar da Caern garantir que a água da lagoa é tratada, o Ministério Público divulgou que, a princípio, a suspeita era de que o transbordamento ocorrido no último domingo para a Rota do Sol seria mesmo de esgotos tratados, porém, foi apurado que se trata de esgotos não tratados.

A 45ª Promotoria de Justiça requereu então à companhia o detalhamento de todas as medidas emergenciais e corretivas que estão sendo adotadas pela empresa para impedir a continuidade da poluição constatada em razão do rompimento dos taludes. Já para o Idema, foi solicitada a realização de uma vistoria, em regime emergencial, junto à ETE Ponta Negra sob a alegação de que existem esgotos in natura sendo lançados no ambiente e também para impedir a continuidade da poluição. 

Segundo a promotoria, essa vistoria  é possível utilizando os equipamentos de medição que existem no local, o histórico das vazões de esgotos que chegaram na estação, a situação de manutenção dos taludes, entre outros pontos. Com isso, o órgão ministerial esperava receber até ontem a descrição detalhada dos problemas constatados. Nessa documentação também devem estar especificadas as medidas corretivas necessárias que foram indicadas para a Caern diligenciar no sentido de impedir a continuidade da poluição no local.

A assessoria do Idema, órgão ambiental licenciador da ETE, informou que os técnicos do instituto ainda estão em campo fazendo a análise das áreas atingidas e, portanto, as informações solicitadas não tinham sido concluídas. Já a Caern disse que que os dados iniciais foram enviados na terça-feira passada e no mesmo documento solicitou um prazo de dez dias para envio de um relatório completo. Segundo a companhia, esse é o tempo necessário para que as equipes técnicas possam apurar todas as informações.

Disse ainda que já deu entrada junto aos órgãos ambientais na licença de ampliação da ETE Rota do Sol, que será desativada quando a ETE Guarapes, que está em obras, entrar em operação.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte