Camarões lança vinhos personalizados

Publicação: 2018-03-02 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
As adegas dos restaurantes Camarões contam com três rótulos especiais desde o final de novembro do ano passado: são os vinhos com a marca da casa – um espumante, um tinto e um branco -, resultado de um meticuloso processo de escolha que levou ao máximo o paladar de sua clientela em consideração. “O resultado são bebidas acessíveis, versáteis e de alta qualidade”, afirma o enófilo e consultor Gilvan Passos, que coordenou o projeto.

O vinho branco é produzido pela Quinta do Sebastião e é avaliado como gastronômico, ideal para harmonizar com os pratos do Camarões
O vinho branco é produzido pela Quinta do Sebastião e é avaliado como gastronômico, ideal para harmonizar com os pratos do Camarões

O processo de escolha contou com as indicações de vinícolas portuguesas e brasileiras. Para os espumantes, todas as opções foram de produção brasileira, já que o reconhecimento como um dos melhores é mundial.

Foram degustados e selecionados materiais de 16 vinícolas. A seleção foi feita através de degustações às escuras, em que os provadores não sabiam nada sobre o que estavam bebendo. “Discutimos também a relação custo/benefício, o compromisso da vinícola, o paladar natalense. Tudo isso influiu nas escolhas”, ressalta Gilvan.

Leve e fresco, o espumante Camarões é produzido pela brasileira Domno, do Vale dos Vinhedos. O rótulo traz a praia de Genipabu
Leve e fresco, o espumante Camarões é produzido pela brasileira Domno, do Vale dos Vinhedos. O rótulo traz a praia de Genipabu

Os rótulos dos vinhos homenageiam alguns símbolos turísticos de Natal, como a Ponte Newton Navarro, o Morro do Careca, e as Dunas de Genipabu. Cada qual com suas características. Gilvan explica que o espumante é leve, fresco, frutado, fácil de beber e muito gastronômico. “Ele é perfeito como aperitivo, e para acompanhar pratos leves de entradas e saladas, além de harmonizar super bem com frutos do mar”, diz.

Já os vinhos branco e tinto são portugueses, da vinícola Quinta de São Sebastião, em Lisboa. O vinho branco é leve e também propício à harmonização gastronômica. “É uma marca do vinho lusitano ser criado para a mesa, portanto, esse branco também fica perfeito para entradas e frutos do mar”, diz Gilvan. O tinto, ele define como um “intermediário”, aquele que não é muito encorpado e também não é muito leve.

O vinho tinto é produzido na Quinta de São Sebastião, em Lisboa. Se define como intermediário, entre leve e encorpado
O vinho tinto é produzido na Quinta de São Sebastião, em Lisboa. Se define como ''intermediário'', entre leve e encorpado

“É um vinho de meio corpo, amadurecido, que agrada iniciados, iniciantes, e potenciais consumidores”, diz, ressaltando a harmonização com filés e massas à base de funghi. “Muita gente esquece que o Camarões também tem pratos de carne vermelha”, completa. O tinto passa seis meses em barricas de carvalho francês, uma madeira que tem aroma de especiarias e dá mais complexidade ao sabor, explica Gilvan.

Os vinhos Camarões podem ser degustados no local em taça e garrafa, e também levadas para casa. Também estão sendo vendidos como presentes, com direito a embalagens personalizadas. Os preços variam entre 65 e 85 reais. Segundo Gilvan, o projeto do Camarões é pioneiro na forma como a escolha dos vinhos foi feita. “Não foi só uma parceria superficial. Nos chamamos as vinícolas, colocamos nossas condições, e tivemos a liberdade de provar e escolher o que queríamos vender. Os vinhos têm o nosso paladar e a nossa identidade”, conclui.

Serviço:
Camarões Potiguar e Camarões Restaurante. Tel.: 3209-2425/3209-2424.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários