Caminhantes do desenho

Publicação: 2019-06-04 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Ramon Ribeiro
Repórter

Um movimento recente, e mundial, tem dado à prática de flanar pela cidade um objetivo artístico, onde caminhantes registram em desenhos e pinturas seus olhares sobre a urbe. O que se chama de desenho de observação. Os entusiastas dessa prática se reúnem na forma de coletivos  chamados de Urban Sketchers. Natal tem seu grupo de praticantes. Há pelo menos sete anos esse grupo promove encontros em pontos específicos da cidade para registrar a paisagem arquitetônica local. Uma seleção recente desses trabalhos compõe a exposição “Ribeira e Encosta – Desenho de Rua”, que além dos registros natalenses apresenta desenhos e pinturas de uma cidade do outro lado do Atlântico: Torres Vedras, em Portugal. A exposição está montada no Nalva Melo Café Salão (Ribeira) e pode ser visitada até o dia 28 de junho.

Acompanhados de curiosos, artistas se acomodam numa escadaria para observar os melhores cenários de Ponta Negra
Acompanhados de curiosos, artistas se acomodam numa escadaria para observar os melhores cenários de Ponta Negra

A exposição é uma das ações do 1º Encontro Regional Urban Sketchers: Norte-Nordeste, realizado em Natal entre os dias 31 de maio e 2 de junho, com a participação de cerca de de 100 praticantes do desenho de observação. Na mostra montada em Nalva estão dezenas de trabalhos, dentre desenhos e aquarelas, que, sob diferentes ângulos, revelam a paisagem urbana da Ribeira. Estão lá prédios icônicos, como o antigo Grande Hotel e o Edifício Bila, além da esquina da Duque de Caxias com a Tavares de Lira. Há também detalhes arquitetônicos e ruínas.

A Ribeira vive uma fase difícil. É um dos bairros mais antigos de Natal, mas seu patrimônio histórico está bastante degradado. E raros são os projetos que buscam mudar essa realidade. Realidade esta dialoga um pouco com a Encosta de São Vicente, na cidade de Torres Vedras, em Portugal. No entanto, a região portuguesa tem convivido com diversos projetos de reabilitação e requalificação urbana. É em meio a esses projetos que se desenvolve a ação “Encosta - Desenho de Rua", que recebe desenhadores de todo o país português para praticarem o desenho de observação. Na exposição montada em Nalva Café Salão, o visitante poderá ver um pouco desse trabalho por meio de banners com fotografias e desenhos.

A exposição “Ribeira e Encosta – Desenho de Rua” é parte integrante de atividades relacionadas ao acordo de parceria firmado entre o Departamento de Arquitetura da UFRN, e a Câmara Municipal de Torres Vedras. Em fevereiro deste ano a mesma exposição foi montada na cidade portuguesa.

Encontro regional rendeu olhares estrangeiros sobre Natal
O Encontro Norte-Nordeste do Urban Sketchers em Natal reuniu cerca de 100 desenhadores vindos de João Pessoa, Recife, Fortaleza, além de cidades de São Paulo e até dos Estados Unidos e, claro, Portugal, país parceiro. Nos três dias de atividades foram visitados três pontos da cidade (Ribeira, Cidade Alta e Ponta Negra), com direito a um bônus (Forte dos Reis Magos).

“A experiência foi muito boa. Visitamos nosso patrimônio cultural e ambiental, no caso Ponta Negra, onde ficamos na faixa de areia. Geralmente o desenho de observação é focado na cidade, mas abrimos essa exceção”, conta o arquiteto e professor André Alves, coordenador do Urban Sketchers Natal ao lado de Jota Clewton, Petterson Dantas e Eunádia Cavalcante.

Detalhes e cenários reais captados pelo traço e o olhar de desenhistas convidados, muitos deles de outros estados e estrangeiros, durante Encontro Regional Urban Sketchers: Norte-Nordeste. A exposição dos trabalhos está em cartaz, até o final de junho, no Nalva Café
Detalhes e cenários reais captados pelo traço e o olhar de desenhistas convidados, muitos deles de outros estados e estrangeiros, durante Encontro Regional Urban Sketchers: Norte-Nordeste. A exposição dos trabalhos está em cartaz, até o final de junho, no Nalva Café

André explica que para participar não precisa ser alguém iniciado em desenho, tenha alguma técnica específica ou seja arquiteto. “O objetivo era retratar com sentimento a cidade. A gente deixava todo mundo livre para andar e escolher um bom ângulo para desenhar. Depois nos reuníamos e montávamos uma exposição no chão com os desenhos”, diz. Ele cita que, dentre os aspectos da cidade, os mais ressaltados foram a arquitetura colonial, o sítio histórico, de modo geral, a avenida Duque de Caxias, e o Morro do Careca.

“Esse foi o primeiro encontro regional realizado no Brasil. Normalmente só se promove o encontro nacional, que vai para sua 4ª edição. O Encontro em Natal mostra o interesse das pessoas pelo desenho de observação e pelo tema do Patrimônio Arquitetônico”, comenta André.

O grupo potiguar pretende fazer uma publicação com parte do material produzido no Encontro. A realização do evento foi do coletivo Urban Sketchers Natal em parceria com o Departamento de Arquitetura da UFRN e a Municipalidade de Torres Vedras (Portugal), com apoio da Prefeitura de Natal e do Governo do Estado.

Serviço:
Exposição “Ribeira e Encosta – Desenho de Rua”. Naval Melo Café Salão (Av. Duque de Caxias, 110, Ribeira). Visitação até 28 de junho

Entrada gratuita







continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários