Cannes 'para ver, não para ser visto'

Publicação: 2018-05-10 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Marcio Delgado
Colaboração para a TN

Cannes — Os convidados do Festival de Cannes que planejaram atualizar as suas mídias sociais com um selfie novo tirado no famoso tapete vermelho do evento, teve que guardar seus telefones celulares e procurar um lugar alternativo para fazer o registro: é que na sua 71ª edição – e talvez correndo contra o moderno mundo digital – os organizadores do festival, um dos mais importantes da indústria cinematográfica de todo o mundo, decidiram que a partir deste ano será proibido tirar selfies.

Martin Scorsese e a presidente do júri, Cate Blanchett, que falou sobre representatividade feminina e teve direito a um clipe no qual faz uma síntese de sua carreira
Martin Scorsese e a presidente do júri, Cate Blanchett, que falou sobre representatividade feminina e teve direito a um clipe no qual faz uma síntese de sua carreira
Um dos motivos alegados é relativamente óbvio: as paradinhas para encontrar o angulo perfeito para a foto a ser publicada no Instagram ou Facebook, entre dezenas de outras plataformas de interação social, atrasam o fluxo dos mais de 2.400 convidados que tem que atravessar o tapete vermelho, a cada filme, para subir a escadaria do centenário teatro Lumiére, onde os principais filmes são exibidos. Mas a decisão, segundo o diretor artístico do festival, Thierry Fremaux, é mais do que um capricho para evitar atrasos na programação de 14 dias do evento:

“Você não vem para Cannes para se ver; você vem para ver filmes. E em um selfie as pessoas sempre ficam bem feias”, acredita Fremaux com a objetividade que só mesmo quem é da terra de Gérard Depardieu e Timothée Chalamet consegue se safar sem ser linchado. Quem descumprir a nova regra e for flagrado no ato, terá o seu acesso a todas as salas de exibição suspenso por 24 horas.

Esta, no entanto, não é a primeira vez que regras do festival soam como algo do século passado. Em 2015 um grupo de mulheres teve acesso negado ao tapete vermelho da première do filme “Carol”, dirigido pelo cineasta americano Todd Haynes e estrelado por Cate Blanchett e Rooney Mara, por não estarem usando salto alto na ocasião. Atrizes como Emily Blunt e Kristen Stewart rapidamente mostraram a sua indignação na internet saindo em defesa das cinéfilas barradas no baile e, em anos seguintes, não se teve notícia de outros casos de pessoas tendo que voltar para casa sem ver uma première por não estarem usando sapatos ‘adequados’ .

Brasil discreto
Participação discreta do cinema nacional – este ano não teve cineasta brasileiro na bancada de jurados do festival. Porém o longa-metragem “Chuva é Cantoria na Aldeia dos Mortos”, uma co-produção Brasil-Portugal que conta com recursos do Ministério da Cultura por meio do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), concorrerá na principal mostra paralela do Festival de Cannes, Un Certain Regard (Um Certo Olhar). O documentário é dirigido pelo cineasta português João Salaviza e pela brasileira Reneé Nader.

Também na programação deste ano está “O Grande Circo Místico”, de Cacá Diegues, que conta no elenco com o ator francês Vincent Cassel e os brasileiros Mariana Ximenes, Jesuíta Barbosa, Bruna Linzmeyer e Juliano Cazarré mostrando as aventuras de uma troupe de um circo centenário e das cinco gerações de uma mesma família que estiveram à frente dos seus espetáculos e histórias.

Abertura Espanhola
Na noite de abertura, na última terça-feira, 8 de maio, o Festival de Filmes de Cannes exibiu "Todos los saben", do iraniano Asghar Farhadi, falado em espanhol e estrelado Penélope Cruz e Javier Bardem. Um evento menos americanizado e mais voltado para a tradicional sétima arte promete ser o tom do festival de Cannes este ano, mesmo com várias figurinhas carimbadas retornado aos holofotes de Cannes já que dos 21 cineastas na disputa oficial a Palma de Ouro, 10 estão competindo pela primeira vez, incluindo o japonês Ryusuke Hamaguchi, a libanesa Nadine Labaki, os franceses Eva Husson e Yann Gonzalez, e o egípcio Abu Bakr Shawky que participa com o seu primeiro filme, Yomeddine.

O Festival de Cannes segue até o dia 19 de maio no Palais Des Festivals e outras salas de projeção da Riviera Francesa.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários