Capitais terão vacinas até cinco dias após aval da Anvisa

Publicação: 2021-01-14 00:00:00
OMinistério da Saúde informou ontem que prevê o início simultâneo da vacinação contra a covid-19 em todas as capitais de “3 a 5 dias” após o aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A pasta disse que o tempo é necessário para que as doses sejam divididas em lotes e enviadas para as maiores cidades de cada Estado, de forma que “ninguém fique para trás”. 

Créditos: Marcello Camargo/Ag. BrasilAnvisa vai decidir no próximo domingo, 17, sobre pedidos de usos emergenciais das  vacinasAnvisa vai decidir no próximo domingo, 17, sobre pedidos de usos emergenciais das vacinas

As informações foram divulgadas em entrevista coletiva concedida à imprensa. O início simultâneo em todas as capitais, previsto pelo ministério, contrasta com a intenção do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que disse querer começar aplicar as doses imediatamente após a aprovação, o que pode ocorrer no próximo domingo, 17. 

“Por que queremos começar com todos ao mesmo tempo? Temos um mote de que ninguém ficará para trás. No SUS, há o princípio da equidade e o da universalidade, de atender a todos”, disse o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Élcio Franco. “O Butantã e a Fiocruz são motivos de orgulho, mas não podemos tratar brasileiros de formas diferentes. Ninguém estará seguro até que todos estejam seguros”, completou. 

Questionado sobre a possibilidade de São Paulo e Rio de Janeiro terem de esperar para começar a vacinação, já que poderão estar com as vacinas em seu território, Franco disse que os Estados não estão “perdendo (tempo)”, “o Brasil é que está ganhando”. Atualmente, seis milhões de doses estão sob guarda do Instituto Butantã, que por determinação da Anvisa não pode antecipar a distribuição "por uma questão legal", informou o ministério.  A intenção de aguardar a chegada da vacina a todos os Estados não representa que as doses estarão em todos os municípios, explicou o ministério. Franco justificou o plano para as capitais em razão das dificuldades de transporte e logística que levar a vacina a todos os 5.570 municípios. 

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, sinalizou com relação à possibilidade de datas para início da aplicação da doses nos brasileiros. "Temos duas vacinas para janeiro, muito promissoras, oito milhões de doses. Quando a Anvisa concluir sua análise, 3, 4 dias depois estamos distribuindo a vacina no Brasil. Ponto. Anvisa vai se pronunciar no dia 17. Botem aí os números para frente. Se a Anvisa alongar para o dia 20, 22, botem os números para frente, mas é janeiro", disse.