Carlos propõe Agência para PPPs

Publicação: 2018-08-10 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O candidato a governador do PDT, Carlos Eduardo, começou a exposição perante os empresário do setor de supermercados afirmando que o atual governo “é frágil e sem direção”, “está comprometendo o desenvolvimento sustentável do Rio Grande do Norte e não traz qualidade de vida para os norte-rio-grandenses”. Ele disse que a ações voltadas ao incentivo do desenvolvimento deverão ser retomadas em seu governo, se eleito, a partir da criação de uma Agência de Parceria Público-Privada (PPP) a fim de atrair investimentos e obras no Estado. 

Carlos Eduardo destaca propostas para incentivo aos investimentos e desenvolvimento
Carlos Eduardo destaca propostas para incentivo aos investimentos e desenvolvimento

Carlos Eduardo afirmou que o eixo central do seu governo “será arrumar a casa, voltarmos a crescer e criarmos empregos”, com a criação da Agência Público-Privada, “que não terá nenhum cargo novo, comissionado ou função gratificada”.

Segundo ele, o objetivo da Agencia será também reter e trazer novos investidores para o Rio Grande do Norte: “Vamos nos reunir mensalmente com a classe empresarial, para que a gente possa discutir soluções e pendências”.

O primeiro problema a enfrentar é buscar o equilíbrio fiscal do Estado, vez que o governo tem hoje uma despesa muito maior do que a sua receita. “O resultado mais cruel dessa crise é o atraso dos salários do funcionalismo e um Estado sem um centavo para investimentos”, acrescentou.

Carlos Eduardo disse que, para enfrentar isso, é preciso ajustar o tamanho administrativo do Estado: “Não defendemos o Estado  máximo e nem o Estado mínimo, defendemos o Estado necessário, cuja despesa e orçamento, têm o tamanho de sua receita, isso é básico”.

Carlos Eduardo disse, ainda, que vai trabalhar para melhorar  a arrecadação, inclusive combatendo a sonegação, “mas nunca aumentando a carga tributária, que já é excessiva”.

Segundo ele, a solução para os problemas do Rio Grande do Norte não pode ser só uma iniciativa do Poder Executivo: “Vamos procurar os demais Poderes e conversar com transparência para participarem desse esforço”.

Com relação à segurança pública, ele disse que o Estado precisa recuperar a capacidade de investimento para atuar mais eficientemente nessa área, inclusive com a ajuda do governo federal, que já deu um passo significativo com a criação do  Ministério da Segurança Pública.





continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários