Carnaval é resistência, diz Roberta Sá

Publicação: 2020-02-22 00:00:00
A+ A-
Ramon Ribeiro
Repórter


Na infância, Roberta Sá passava o carnaval na Praia de Muriú. Na adolescência, Pirangi. Agora, cantora consolidada no cenário nacional, pelo menos um dia ela passa em Natal. Não como foliã, mas em cima do palco comandando a festa. Em 2020 ela vai para o seu terceiro ano no carnaval da cidade – e pela terceira vez com show no pólo Petrópolis. A apresentação será no Largo do Atheneu, no domingo (23), às 21h30. Mas a programação no palco já estará aberta desde às 18h, com a banda Submarino Amarelo, seguida pela cantora Andiara Freitas.

Créditos: DivulgaçãoEm seu terceiro ano no Carnaval de Natal,  Roberta de Sá promete muito samba de roda e pitadas de maracatu e frevoEm seu terceiro ano no Carnaval de Natal, Roberta de Sá promete muito samba de roda e pitadas de maracatu e frevo


Em 2018, quando estreou no carnaval de Natal, Roberta estava entusiasmada com o crescimento da festa na cidade. Naquele ano,  defendeu um carnaval autoral, com a cara potiguar, e que por isso era importante a forte presença dos artistas locais fazendo a ponte com as atrações de fora – como ela, que embora natalense, construiu toda a carreira no Rio de Janeiro.

A TRIBUNA DO NORTE a ouviu novamente por ocasião do show de agora. Ela se mostra igualmente entusiasmada em retornar a cidade. “Virou uma tradição, né. Fico feliz e realizada em ver o carnaval de Natal crescendo, vendo que a cada ano ele está mais diversificado. Não precisa sair do RN para curtir”, contou por telefone a cantora. “E é um evento que se tornou importante para a cidade, ajuda a fomentar a cena dos músicos locais”.

Roberta chega para o carnaval ainda em meio a turnê “Giro”, do disco homônimo lançado em abril de 2019. O trabalho tem bastante de Gilberto Gil, compositor das 11 faixas (todas inéditas, escritas sozinho ou em parceria), mas o estilo da potiguar está lá inconfundível. Canções desse disco estão no repertório do seu show de carnaval, que ainda passeia pelos outros cinco discos de estúdio da cantora. “É repertório diversificado, com músicas de todos os discos. Será um show mais dançante, quente, com samba de roda, maracatu e frevo”, detalha.

Portelense de coração, Roberta é apaixonada pelo carnaval, seja em cima do palco, no sambódromo ou nos bloquinhos de rua. Suas fantasias são sempre caprichadas. Ela acompanhou a polêmica recente que surgiu em cima das vestimentas de índio, iniciada depois que a atriz Alessandra Negrini apareceu no bloco Acadêmicos do Baixo Augusta, em São Paulo, usando um body preto e um cocar indígena. Nas redes sociais, as críticas acabaram resvalando no bloco Cacique de Ramos, do subúrbio do Rio de Janeiro, berço do samba carioca e um dos mais tradicionais blocos do Rio. “O carnaval é uma grande festa popular, é algo para diversão. Mas é um lugar de resistência, de diversidade. O Cacique de Ramos tem uma história de resistência. Não sou a favor da apropriação cultural, mas é preciso contextualizar. O Cacique tem uma longa trajetória, tem um trabalho feito na periferia”, comenta Roberta, reconhecendo que a reflexão é importante. “Algumas fantasias não cabem mais. Nega Maluca, por exemplo. A pessoa tem que ter consciência de não estar ofendendo, de não estar mostrando um comportamento racista, machista. Estamos vendo no mundo discussões importantes. É preciso se informar, ter bom senso”.

A cantora também comenta sobre a abertura do carnaval para ritmos até então pouco caracterizados com a festa, como o sertanejo, o funk e o brega funk. “No carnaval tem espaço para todos. Mas acho importante ter a proteção para alguns ritmos mais tradicionais. Acho legal o que Recife faz com o frevo, por exemplo, valorizando e criando palcos específicos”, diz a potiguar.

Mas se tem um aspecto que alegra Roberta na diversificada cena musical brasileira é o sotaque. “Fui para o Rio de Janeiro com nove anos. E no começo eu sofri muito bullying por causa do meu jeito potiguar de falar. Hoje vejo todas essas cantoras defendendo seus sotaques no palco. Isso é muito bonito”.





Deixe seu comentário!

Comentários