Carnaval estimula comércio varejista

Publicação: 2019-02-10 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Ricardo Araújo
Editor de Economia

Uma das épocas mais aguardadas do ano, o Carnaval, é também uma das mais rentáveis para alguns segmentos do comércio varejista no país. No Rio Grande do Norte, empresários que atuam na revenda de itens carnavalescos, ou que podem também ser usados durante a folia de momo, esperam crescimento de 15% nas vendas neste ano ante 2018. Os dias que antecedem a festa também são oportunos para quem deseja ampliar ganhos com a confecção de adereços e fantasias. Artesãos profissionais e amadores chegam a faturar, nessa época do ano, até R$ 3 mil por mês com a venda de artigos relacionados ao período.

“As expectativas para este ano são muito boas. Minha estimativa é que as vendas cresçam em torno de 15% em relação ao ano passado. As pessoas estão mais envolvidas com o carnaval em Natal, nas cidades do interior, e sempre procuram adereços, fantasias, peças para montagem de vitrines e decoração de casas de praia e nas cidades onde tem festa”, diz o empresário Severino Vasconcelos. O Ponto dos Botões, loja que administra há 20 anos, é um dos endereços mais visitados no tradicional bairro do Alecrim nesses dias que antecedem o Carnaval. Na loja, pelo menos 1.150 itens são relacionados à festa.
Byanca Vanderlei consegue vender até R$ 3 mil durante carnaval
Byanca Vanderlei consegue vender até R$ 3 mil durante carnaval

Vasconcelos destaca que as vendas de itens carnavalescos cresceu, em Natal, desde que a Prefeitura Municipal passou a investir na programação local. Além disso, a crise financeira provocada pelos atrasos nos pagamentos dos salários dos servidores públicos estaduais, principalmente, expandiu o número de pessoas que deixaram de viajar e a passar os dias de folia em casa. “Isso acabou ajudando muito o comércio local. Além disso, hoje em dia, as pessoas estão menos preocupadas com o que vestir e querem se fantasiar para entrar no clima. Um adereço já faz diferença”, afirma o empresário. Ele complementa destacando que o volume de artesãos que antecipou a compra de material em larga escala cresceu em janeiro deste ano.

Uma das artesãs que procurou o tradicional comércio do Alecrim neste início de ano foi a radialista Byanca Vanderlei. A confecção de adereços para consumo próprio acabou caindo no gosto dos amigos e, a partir da propaganda boca a boca e com a disseminação de imagens nas redes sociais, o período carnavalesco se tornou uma época de bons negócios. “Eu amo o carnaval e quando chegava essa época eu sempre procurava alguns adereços nas lojas e via que era tudo igual e mau feito. Decidi fazer um adereço para uma prévia carnavalesca e todos perguntaram quem tinha feito, onde eu tinha comprado. Daí surgiu a ideia de montar e vender essas peças”, diz Byanca Vanderlei.

Com peças a partir de R$ 10, ela diz que chega a faturar R$ 3 mil durante o mês que antecede a data oficial do Carnaval. No terceiro ano seguido produzindo tiaras, brincos e adereços diversos, “a artesã sazonal” espera aumento nas vendas. “Não me considero uma artesã, até porque produzo mais no Carnaval e São João. Mas sempre tento colocar minha criatividade nas peças e tem dado certo. A procura tem aumentado nos últimos anos e, no ano passado, consegui vender tudo. Na última prévia que fui não tinha adereço para mim. Fiz de última hora”, relembra. Os produtos de Bianca Vanderlei serão expostos na próxima terça-feira, 12, no ensaio do Bloco A Ponta, no Mormaço, em Nova Descoberta, a partir das 19h. Ela também vende via Instagram no endereço @byancavanderlei.

Também de olho no comércio digital, a artesã Maria Leopoldina  (@pontinhos_encantados_da_maria) ampliou o leque de itens voltados ao Carnaval. Além disso, como diferencial para 2019, ela conta que está usando produtos em neon, que são tendência nas fantasias deste ano, principalmente nas infantis. “Sereias, unicórnios, tiaras coloridas e com frutas são sempre as mais pedidas. Mas também tem os laços e orelhinhas de coelho em plástico neon que são a novidade”, diz. Ela vende mais de 150 tiaras nesse período, o que garante uma renda extra.






continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários