Cartas do ‘Papai Noel dos Correios’ no RN já podem ser adotadas

Publicação: 2017-11-14 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Há 28 anos, funcionários dos Correios, comovidos com as cartas endereçadas ao Papai Noel nos meses de dezembro, começaram a fazer cotas e mutirões para atender pedidos de milhares de crianças. A iniciativa, se institucionalizou através da campanha ‘Papai Noel dos Correios’, que teve a edição 2017 lançada nesta segunda-feira (13). A ação vai até o dia 6 de dezembro e a expectativa é de que cerca de 10 mil estudantes de escolas públicas ou em vulnerabilidade social sejam presenteados.

Campanha 'Papai Noel dos Correios' foi lançada ontem para realizar o sonho de crianças carentes
Campanha 'Papai Noel dos Correios' foi lançada ontem para realizar o sonho de crianças carentes

A campanha funciona através do apadrinhamento das cartas. A mobilização visa realizar sonhos que vão desde caixas de chocolate à material escolar e brinquedos. Para presentear uma criança, qualquer pessoa ou empresa pode visitar às agências dos municípios participam da campanha (descrição no final da matéria) e adotar uma ou mais cartas de Natal. Os padrinhos tem até o dia 08 de dezembro para levar o presente aos Correios, que se responsabiliza pela distribuição.

O estudante Henrique Eduardo Oliveira,10, cursa 3º ano na Escola Estadual Paço da Pátria, e já espera que o Papai Noel atenda seu pedido. Ele mora  mora com a mãe, o irmão e o avô na comunidade que dá nome a Escola, na Zona Leste de Natal,  e gostaria de ganhar um baralho ou um carro de controle remoto. A primeira opção foi escolhida porque seus primos mais velhos costumam jogar cartas no tempo livre, o que despertou o interesse do menino. O segundo pedido, por sua vez, é a repetição de um desejo antigo.

Este é o segundo ano consecutivo que Henrique tenta ganhar o seu presente natalino através da campanha dos Correios. Ano passado, ficou entre as 700 crianças que não conseguiram ser contempladas pelo programa. Ele havia pedido um brinquedo o Batman ou um carrinho, mas não teve sua carta adotada. Mesmo sem ter recebido o que desejava na primeira tentativa, diz que continua enviando suas correspondências porque “gosta muito do Papai Noel”.   A carta deste ano foi entregue pessoalmente durante o evento de  lançamento da Campanha. No texto destinado ao “bom velhinho”, Henrique também deixa claro que “apesar da violência em sua comunidade, tem esperança de viver um futuro melhor”.

Na mesma turma da Escola Estadual Paço da Pátria, Nathan Gomes, 8, aguarda um brinquedo de super-herói ou material escolar, como mochilas e cadernos. O menino vive com o avô e teme que utensílios que podem comprar não sejam suficientes para que ele acompanhe as aulas até o final do ano letivo.

Para a professora Fabiana da Silva, responsável pela turma em que Henrique e Nathan estudam, o projeto também tem um importante papel pedagógico. “[No momento de escrever as cartas] os alunos se motivam para aprender sobre o gênero textual. O projeto desperta o desejo para aprendizagem e eles trabalham com muito mais envolvimento”, relata a discente que há três anos incentiva seus alunos a participarem da campanha. Este ano, dos dez estudantes de sua turma já escreveram suas cartas e aguardam ansiosos pela resposta.

O projeto tem parceria com 55 escolas da rede pública e instituições que trabalham com crianças em vulnerabilidade social, distribuídas em 12 municípios. Além dos presentes, a campanha incentiva que os professores dediquem uma aula para o ensino do gênero carta e produção dos pedidos de natal. As correspondências desses alunos já estão disponíveis para o apadrinhamento.

Crianças que não são contempladas pelas parcerias também podem participar da campanha. Para isso, devem postar seus pedidos em qualquer agência dos Correios, colocando Papai Noel como destinatário. A medida em que as correspondências chegam, funcionários da instituição fazem um mutirão para digitalizar e realizar uma triagem. Os pedidos são priorizados de acordo com a condição social das crianças, com objetivo de atender os casos mais vulneráveis.

De acordo com o superintendente estadual dos Correios, Rodrigo Medeiros, todas as cartas são respondidas por funcionários do órgão, mesmo que não tenham suas cartas adotadas e não ganhem presentes. No Rio Grande do Norte, a demanda gira em torno de 10 mil cartas por ano. Em 2016, 10.800 crianças fizeram seus pedidos e 10.100 foram atendidas. A expectativa para este ano é de que os números seja semelhantes. Segundo Rodrigo Medeiros, o estado é o terceiro do Nordeste com maior percentual de cartas adotadas. Para o superintendente, o dado é uma demonstração da solidariedade potiguar.

Serviço
Campanha Papai Noel dos Correios

Prazo para entrega de cartas:
20 de novembro

Prazo para apadrinhamento:
6 de dezembro

Entrega dos presentes:
8 de dezembro

Municípios que participam da ação:
Natal

Parnamirim

Assu

Apodi

Caicó

Currais Novos

Macau

Mossoró

Nova Cruz

Santa Cruz

Pau dos Ferros

Rafael Godeiro

Números
10 mil crianças devem receber presentes de Natal este ano, segundo estimativa dos Correios


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários