Cenário e confiança

Publicação: 2020-10-23 00:00:00
Luiz Antônio Felipe
laf@tribunadonorte.com.br

O Ibre/FGV prevê fôlego extra, mas curto, na retomada do terceiro trimestre. O crescimento previsto pelo Boletim Macro da instituição melhora de 6,6% para 7,1% no período e queda no ano de 5,3% para 5,1%. Outro dado ruim vem do IBGE. O Brasil perdeu 382,5 mil empresas em cinco anos de saldos negativos, antes da pandemia. Enquanto isso, mais otimismo da parte dos empresários. A Confederação Nacional do Comércio revela que a confiança do empresário do comércio voltou ao patamar de otimismo após seis meses, período antes da pandemia, agora com destaque para alta na intenção de contratação.

RECEITAS 
A arrecadação federal sobe 1,97% em setembro, no segundo mês de alta somando R$ 119,825 bilhões, o melhor resultado para setembro em 6 anos. Um ritmo acima do esperado. Mas, em relação a agosto deste ano, houve redução de 4,37% na receita de impostos.

EDUCAÇÃO
Uma triste e decepcionante constatação da OCDE, ao classificar o estudante brasileiro de monoglota (só domina um idioma) e alienado. Mais do que ficar enfurecido, as autoridades deveriam assumir a responsabilidade de fazer da Educação um desafio constante, a partir da creche para todas as crianças e do reforço no ensino fundamental.

SERIDÓ
O acordo a ser assinado hoje entre o Governo do RN e a Codevasf vai garantir a execução do Projeto Seridó, de grande importância para a interligação de bacias e garantir o abastecimento definitivo da região. Não custa caro, R$ 280 milhões, na implantação de sete adutoras, que totalizam 300 km de extensão, para  a sustentabilidade hídrica nos próximos 50 anos.

COTAÇÕES 
O petróleo (spot) foi vendido por US$ 40,62 uma leve recuperação de +0,65%. O real se valorizou com a queda do dólar R$ 5,593 (-0,28%). O euro também caiu a R$ 6,610, queda de -0,64%. O Ibovespa subiu +1,36% a 101.918 pontos. O investidor estrangeiro ingressou com R$ 2,6 bilhões na Bolsa em outubro.

ALTA DO PIB AGROPECUÁRIO
O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) eleva a previsão de aumento do PIB agropecuário de 1,6% para 1,9% em 2020. O Grupo de Conjuntura do Ipea ainda revisou para baixo a projeção de expansão do PIB Agropecuário do próximo ano de 2,4% para 2,1%, por conta do aumento da base de comparação - com o melhor resultado esperado para 2020. A estimativa maior para 2020 se deve a melhora nas previsões do IBGE para componentes importantes da lavoura e por números mais positivos também para a pecuária, "em especial decorrentes das revisões dos resultados observados de produção nos últimos meses".

IMPACTO 
Um estudo do Ministério da Agricultura e Pecuária mostra que os municípios com alta produção agrícola impactam no PIB local. A nota técnica diz que as cidades consideradas mais ricas em termos de valor da produção agrícola têm média da participação do PIB agro no PIB total de 36,8%, enquanto para o Brasil essa participação foi de 5,4%. A maior parte desses municípios está em Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul e Bahia.

PEQUENOS 
Vem aí a terceira etapa do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), que pode se transformar em um programa permanente. Em suas duas etapas, o programa realizou de mais de 460 mil operações de crédito, somando um volume superior a R$ 32 bilhões em empréstimos para 430 mil micro e pequenas empresas.

PARCELAMENTO 
Para quem está com dificuldades, a Potigás parcela os débitos de clientes comerciais, até o dia 31 próximo. Esses usuários podem aderir as parcelas em cinco vezes, sendo uma entrada e mais quatro mensais com dos encargos financeiros de atraso. Contato pelo 3204-8500 ou pelo e-mail financeiro@potigas.com.br.

CHUVAS 
Embora o período chuvoso já tenha passado, a meteorologia da Emparn registra chuvas em 17 postos pluviométricos, no Agreste e Leste, da manhã de quarta-feira até a manhã de ontem. Em São Bento do Norte, 2,0 milímetros (mm) e no Agreste em Serrinha, 6,1mm e João Câmara, 4,5mm. Chuvas mais fortes em Baia Formosa, 23,4mm e Parnamirim, 18,3mm. Em Natal, 9,8mm.

TECNOLOGIA 
Agregar mais valor ao sal marinho. Pesquisadores da UFRN descobrem um tipo de tijolo solo-cimento a partir da incorporação de um resíduo da produção do sal. Já foi feito o depósito de pedido de patente sob a denominação Tijolo ecológico.  A nova tecnologia tem grande importância para o RN, por concentrar 95% da produção de sal no Brasil.

ESSENCIAL 
O lançamento da campanha nacional “Somos Essenciais”, teve a participação do empresário Edilson Pereira, do grupo potiguar Interfort, ao lado do presidente da Febrac, Renato Fortuna Campos. No País são 1,8 milhões de trabalhadores, atuando diretamente no front da Covid-19, em empresas de segurança, de limpeza e conservação.











Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.