Centro Cultural Trampolim da Vitória, em Parnamirim, abre as portas

Publicação: 2020-01-29 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Ícaro Carvalho
Repórter

Carentes de espaços que contem sua história e relembrem épocas em que o Rio Grande do Norte foi importante para o Brasil e para o Mundo, os potiguares ganharam um local para relembrar um dos episódios mais marcantes da história do Estado: a participação do RN na Segunda Guerra Mundial. Um dos eixos desse projeto, o Centro Cultural Trampolim da Vitória foi aberto ao público nesta terça-feira (28), em Parnamirim.

Créditos: Adriano AbreuMuitos potiguares foram conhecer o espaço que reúne peças e informações sobre a participação do Rio Grande do Norte durante a Segunda Guerra MundialMuitos potiguares foram conhecer o espaço que reúne peças e informações sobre a participação do Rio Grande do Norte durante a Segunda Guerra Mundial
Muitos potiguares foram conhecer o espaço que reúne peças e informações sobre a participação do Rio Grande do Norte durante a Segunda Guerra Mundial

O espaço escolhido aproveita as instalações do Aeroporto Internacional Augusto Severo, desativado em 2014 e até então sem uso definido. Com milhares de itens, muitos parnamirinenses e natalenses vieram prestigiar o espaço, que conta a história de Natal e de Parnamirim na Segunda Guerra Mundial. No museu, é possível ver fotos, registros históricos, documentos, capacetes, agasalhos, macacões, medalhas, modelos de aeronaves,  e uma série de itens que remontam à Segunda Grande Guerra. Há ainda uma parte de simuladores de voo 3D, televisões e um espaço interativo e bem sinalizado.

A data de inauguração foi escolhida justamente para homenagear a Conferência do Potengi, que aconteceu no dia 28 de janeiro de 1943. Neste dia, Getúlio Vargas, presidente do Brasil, e Franklin Delano Roosevelt, presidente dos Estados Unidos, se encontraram na Fundação Rampa, no bairro de Santos Reis, em Natal, para discutir a participação brasileira na Segunda Guerra Mundial. Uma passeata, inclusive, saiu da Rampa com atores simbolizando os presidentes e o aviador Augusto Severo, interpretado pelo pesquisador Augusto Maranhão.

“Esse evento não é só para Parnamirim. Eu sempre digo: só tem dois lugares no mundo e no Brasil que se contam a história da Segunda Guerra Mundial, que é justamente Parnamirim e Natal. Estamos entregando para o turista mais um motivo para ele permanecer no nosso Estado: a cultura, que estava faltando", disse o prefeito de Parnamirim, Rosano Taveira.

Quem esteve no local para acompanhar a inauguração do espaço foi a família da natalense Janaína Galvão, 39 anos, mediadora judicial. Ela foi acompanhada do esposo, Rafael Santos, e da filha, Barbara Coelho.

“Vimos no jornal e sempre buscamos conhecer a nossa história. O antigo Augusto Severo sem funcionar, achamos interessante abrir ao público. É muito interessante mostrar as crianças. É uma aula de história e uma volta ao passado”, disse Janaína.

Créditos: Adriano AbreuDurante a inauguração do espaço foi feita uma homenagem à Conferência do Potengi, que aconteceu no dia 28 de janeiro de 1943Durante a inauguração do espaço foi feita uma homenagem à Conferência do Potengi, que aconteceu no dia 28 de janeiro de 1943
Durante a inauguração do espaço foi feita uma homenagem à Conferência do Potengi, que aconteceu no dia 28 de janeiro de 1943

A curadoria do espaço pertence aos pesquisadores Fred Nicolau e Marcelo Borges, que já integraram a extinga Fundação Rampa e cederam suas peças ao espaço. “Aqui conta a história da Guerra, da invasão da Polônia e da Bomba Atômica, com ênfase em Parnamirim Field e em Natal. E tem a história da base de 42 até os dias atuais”, explica Marcelo, 50 anos, major da Polícia Militar e pesquisador e colecionador de artigos das Forças Armadas desde os 6 anos de idade.

De acordo com o secretário de Planejamento, Finanças, Turismo e Desenvolvimento Econômico de Parnamirim (Seplaf), Giovani Rodrigues Júnior, essa é a primeira  fase de uma das etapas da obra. Na próxima, ainda no Aeroporto Augusto Severo, serão revitalizadas as lojas, lanchonetes e restaurantes do primeiro andar e a revitalização do hangar onde os passageiros esperavam seus voos.

“A ideia é que a gente faça com que esse centro tenha essa etapa ainda no ano de 2020”, explica. “Vamos fazer com que esse centro passe a ter salas de convenções, onde possamos ter exposições, feiras, inúmeros eventos que poderão agregar ao turismo do Rio Grande do Norte”, disse. Há ainda outra etapa que vai custar R$ 6 milhões que abrangem a reforma de um hospital, de um cinema e do antigo Comando Militar Brasileiro, ambos em Parnamirim e memórias vivas da Segunda Guerra.

Para este primeiro mês de funcionamento, a entrada será gratuita, mas em seguida será cobrada uma taxa entre R$ 10 e R$ 15. O funcionamento será às quintas, sextas, sábados, domingos e segundas-feiras, das 9h às 17h, com fechamento para manutenção nas terças e quartas-feiras.






Deixe seu comentário!

Comentários