CEPS Anita Garibaldi em Macaíba vai atender casos suspeitos do novo Coronavírus

Publicação: 2020-03-22 13:57:00
A+ A-
O Centro de Educação e Pesquisa em Saúde (CEPS) Anita Garibaldi - referência em atenção especializada à saúde materno-infantil e da pessoa com deficiência no Rio Grande do Norte - anunciou que vai adaptar os serviços para atender casos suspeitos do novo Coronavírus e urgências de menor risco, que envolvam gestantes e crianças.

O pronto-atendimento instalado pela primeira vez no Centro, em mais de 10 anos de operação vai funcionar a partir desta segunda-feira, dia 23, para receber exclusivamente a demanda de Macaíba, na Região Metropolitana.
A adaptação ocorre para desafogar o principal serviço de urgência e emergência do município, a UPA Aluízio Alves, em um contexto onde faltam médicos de saúde da família e avançam as suspeitas de infecção pelo novo Coronavírus.
“O CEPS entra em campo como uma extensão temporária da UPA, que funciona ao lado. Apresentamos a proposta à Secretaria de Saúde do Município e a Secretaria aceitou”, diz o diretor-geral do Instituto Santos Dumont (ISD), Reginaldo Freitas Júnior.
A organização, financiada pelo Ministério da Educação, gerencia o CEPS e o Instituto Internacional de Neurociências Edmond e Lily Safra (IIN-ELS), também em Macaíba.

Pronto-atendimento
Um levantamento do ISD mostra que o número de pessoas passando pela UPA aumentou quase 60% na última semana.
“Identificamos que 48% dos casos são considerados não graves e poderiam ser atendidos no CEPS, desafogando esse serviço”, diz Freitas Júnior. “As equipes de saúde que estão em serviços de urgência e emergência como é o caso da UPA precisam concentrar esforços para o atendimento dos casos mais graves, classificados como risco amarelo e vermelho”, avalia.
A corrida da população por atendimento, analisa o médico, está relacionada “à desinformação, à sensação de pânico coletivo por causa da doença, à ansiedade por saber se estão ou não doentes e o que devem fazer, assim como a carências na cobertura médica em suas respectivas áreas de abrangência”.

Procura
Com a adaptação dos serviços, o CEPS vai atender casos suspeitos do chamado Covid-19 em grávidas e crianças do município, além de absorver parte da demanda “azul e verde” - ou seja, casos considerados menos graves na classificação de risco e que até então entrariam na UPA.

Da demanda total que chega à unidade, 75% são adultos e 25% são crianças, segundo dados divulgados pela diretora da unidade, Maria Célia Croisfelt Santos.

A média habitual de atendimentos passou de 140 para 220 por dia, na última semana, sendo 48% com a classificação de risco verde e azul que o CEPS ajudará a receber.

Atendimentos
O funcionamento obstétrico e pediátrico com esse objetivo ocorrerá das 8h às 17h, o horário normal de funcionamento do Centro, com uma escala mínima de profissionais na equipe.

As equipes contarão com um obstetra, um pediatra, uma equipe de sobreaviso para realização de ultrassonografias, e estrutura de diagnóstico com laboratório tentando dar respostas rápidas. Profissionais de enfermagem, técnicos de enfermagem e uma equipe mínima de apoio administrativo, em funções como recepção dos usuários, também estarão de prontidão.
Espaços como auditório e biblioteca do Centro foram adaptados para atendimento aos usuários.
Nos ambientes de espera, o trabalho será feito de modo a garantir ao menos um metro de distância entre eles, atendendo à recomendação de autoridades de saúde para reduzir eventuais riscos de contágio pelo novo Coronavírus.

O CEPS
Hoje o CEPS funciona como unidade-escola do ISD para formar profissionais no atendimento à saúde materno-infantil e de pessoas com deficiência. É o campo prático de atuação para alunos de Residência Multiprofissional própria e em parceria com as Residências Médica e Multiprofissional da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).
O número de atendimentos por ano supera 45 mil, em áreas relacionados a  pré-natal e outras voltadas a adultos e crianças com condições como epilepsia; Parkinson; transtorno do espectro do autismo (TEA); lesão medular; microcefalia; deficiência auditiva; prematuridade e bexiga neurogênica.

Os serviços que oferece são normalmente eletivos, ou seja, com dia marcado, e não considerados de urgência e emergência.
Nas clínicas, os atendimentos foram mantidos apenas em casos excepcionais, como pré-natal de alto risco e a pediatria de risco, que sempre foram o perfil da demanda. Os serviços são destinadas exclusivamente a usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) e os agendamentos, nesses casos, são realizados por meio dos encaminhamentos feitos pelas Unidades Básicas de Saúde.


Deixe seu comentário!

Comentários