Chuvas devem se intensificar no RN

Publicação: 2018-02-15 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Jéssica Petrovna e Ícaro Carvalho
Repórteres

Hudson Helder
Chefe de reportagem

A Zona de Convergência Intertropical deixou o clima instável na faixa litorânea entre o Rio Grande do Norte e Pernambuco. As nuvens carregadas que começaram a se espalhar nesta quarta-feira (14) devem se intensificar entre hoje (15) e sábado (17). Há previsão de chuva forte, com probabilidade de trovoadas  e raios em Natal, João Pessoa e Recife, chegando até Maceió a partir da sexta-feira (16). Os sistemas de monitoramento mostram que, nos próximos cinco dias, a chuva acumulada deve ser de até 100mm. Considerando que a média para a capital do Rio Grande do Norte para fevereiro é de 87mm, deve chover em menos de uma semana, mais que o esperado para o mês inteiro.

Com as chuvas registradas, o volume de água no leito do rio Piranhas, que alimenta a barragem Armando Ribeiro Gonçalves, tem aumentado nos últimos dias
Com as chuvas registradas, o volume de água no leito do rio Piranhas, que alimenta a barragem Armando Ribeiro Gonçalves, tem aumentado nos últimos dias

Há seis anos sendo castigado pela seca, o Rio Grande do Norte tem visto se concretizar as previsões de um bom inverno para 2018. Nas últimas 24h, houve registro de chuvas nas cidades litorâneas e do interior. Em Upanema e Sítio Novo choveu 51 milímetros. Em Caicó, o açude Itans, que estava seco em função da estiagem, vem aos poucos enchendo em decorrência das chuvas nas cabeceiras dos rios no estado da Paraíba. O Itans começou receber água no sábado de carnaval, após uma chuva de 100 mm, segundo informações do blog Jean Souza.  Em Santana do Matos, o açude Rio da Pedra, em volume morto, também recebe bastante água. Em Lagoa Nova, na região serrana, até o início da manhã de ontem o registro era de mais de 50 mm de precipitação na zona urbana e de 80 mm na zona rural. Com a chuva, também veio fortes ventos que chegaram a derrubar uma árvore no centro.

Os registros de chuva em quase todas as regiões do semiárido potiguar têm animado não apenas agropecuaristas, mas moradores das áreas urbanas porque alguns dos reservatórios começam a ter recarga. As imagens de boas chuvas e rios com água, em áreas castigadas até então pela estiagem, tomaram conta das redes sociais em pleno carnaval. Aos poucos, a paisagem cinza da caatinga vem mudando, dando lugar ao verde das juremas, e os cercados encobertos pela babugem naquelas áreas onde as chuvas foram mais frequentes.

De acordo com o meteorologista da Emparn, Gilmar Bristot, as condições de chuvas devem permanecer até a primeira semana de março e são ocasionadas pela Zona de Convergência Intertropical que está sobre o Nordeste. “A condição de umidade é boa, o Oceano Atlântico voltou a esquentar próximo ao litoral, de forma que se ocorrer um veranico será de curta duração que deve comprometer a condição da agricultura. Já existe uma condição favorável de solo e umidade, ao menos para as regiões Oeste e Central; no Agreste tem ocorrido boas chuvas nos últimos dias, possibilitando a condição de início do plantio”, afirma Bristot.

O meteorologista alerta que os agricultores devem dar preferência às culturas de ciclo curto porque há uma variabilidade especial e tempo de chuvas no Nordeste, mesmo em anos chuvosos, e que podem comprometer os resultados onde não há condição de boa umidade do solo. Cita como exemplo algumas áreas do Seridó e Agreste.

A Emparn aguarda o término do mês de fevereiro para consolidar os dados de chuvas para o mês. Em janeiro, os dados mostraram um grande acumulado de chuvas nas regiões do Vale do Açu e Alto Oeste potiguar (médio oeste, especialmente). Essa condição deve se repetir em fevereiro. O meteorologista ressalta que as chuvas na região do Litoral, como tem ocorrido nos últimos dias, especialmente no Litoral Sul e Agreste, devem elevar essas regiões à condição de mais chuvosas no Estado.

A orientação do Serviço de Meteorologia da Emparn ao Governo do Estado foi para que iniciasse a distribuição das sementes pela região Oeste, onde o zoneamento de risco agrícola do Ministério da Agricultura recomenda plantio até o último decêndio de fevereiro. “A recomendação é que nessa região, se já tiverem disponível as sementes, os agricultores comecem o plantio porque a condição de umidade já é satisfatória.

Abastecimento parado
Ontem, as chuvas ocasionaram problemas na rede elétrica, forçando a paralisação dos sistemas de abastecimento das cidades de São Rafael e Porto do Mangue. A Caern informou que será necessário que se aguarde melhora no tempo para que seja providenciado o reparo das bombas afetadas. Uma equipe já foi direcionada para o local.

Em Assu, os problemas na rede elétrica já foram resolvidos, mas o sistema de abastecimento continua prejudicado em decorrência de um vazamento na rede que passa pela Avenida Senador João Câmara. O problema afeta toda a cidade, mas de forma mais significativa nos bairros Vertente e Irmã Lindalva. Por se tratar de  uma tubulação antiga de amianto, o vazamento só pode ser retirado com o auxílio de uma fibra cuja aplicação fica inviável em tempo chuvoso. Por isso, a Caern ainda não tem uma previsão de solução do problema.

Monitoramento pluviométrico
Dados preliminares enviados por alguns observadores da Emparn, mostram boas chuvas pelo interior do RN e região metropolitana de Natal
Nas últimas 24 horas choveu:
Macaíba         102 mm
Parnamirim    98 mm
Canguaretama    71 mm 
Natal           43 mm 
Upanema    51 mm
Sítio Novo    51 mm
Felipe Guerra    48 mm 


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários