Ciclo chuvoso é encerrado em maio

Publicação: 2019-04-16 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
 Na maior parte do RN, o ciclo chuvoso se encerra no final de maio. A concentração maior é entre  março e abril. No final de maio e início de junho, coincide com a colheita do milho nos períodos chuvosos, quando se comemora o resultado da safra. É nesse período que o Governo contabiliza os resultados das ocorrências das chuvas.

No ano passado esse ciclo foi encerrado com a Armando Ribeiro  em 31% de seu volume. Neste mês de abril o volume há chegou a 30,16%. Com os resultados deste ano, o Igarn espera que chegue aos 40%. A aposta inicial era de 30% e perto dos 50%. Segundo Francisco Caramuru, analisando o  comportamento de abril é possível que chegue em torno de 40%, superior aos 31% do ano passado. Em 2013, quando começou o período de estiagem, estava em torno de 40% a 49%. E pode voltar ao volume de antes do período da estiagem.

O diretor-presidente do Igarn disse que em 2010 as maioria dos reservatórios estava cheia. Em 2013, o volume de 49% dos reservatórios foi caindo até chegar abaixo dos 20% no início de 2019. Com as chuvas atuais veio a recuperação para os atuais  30%.

Com a recuperação da capacidade hídrica, explicou o diretor-presidente do Igarn, a população e o setor produtivo têm que atentar para a gestão das águas que envolve o uso racional doméstico, as tecnologias de produção na indústria e  na agricultura. Segundo ele, existem modelos tecnológicos mais econômicos para o uso da água. “Precisamos avançar (também) no reuso de água”.

 O uso racional da água é uma das formas de enfrentamento dos efeitos da estiagem no semiárido, condicionou Francisco Caramuru Paiva. “Não tem como fugir da estiagem e nós temos que aprender a conviver com a variação de chuvas”. Dos grandes fenômenos climáticos, segundo ele, a estiagem talvez seja a mais fácil de se conviver.  É só estocar água e comida,  para fazer a travessia ( do período seco) o mais fácil possível”.

Lição
É urgente, na opinião do diretor-presidente do Igarn,  aperfeiçoar o modelo de gestão do uso das água. Ele explicou que isso está sendo feito com a  organização dos conselhos de bacias hidrográficas que dentro das Leis das Águas. Essas são as unidades que gerenciam as bacias, além de reforçar o Comitê Estadual e atualizar o Plano Estadual dos Recursos Hídricos.

Com vistas à Semana Nacional de Meio Ambiente, em junho, o Igarn está preparando uma campanha educativa sobre uso racional da água. “Queremos incentivar as práticas que aperfeiçoam o monitoramento das águas”.

O Estado, disse o diretor, tem um monitoramento das águas superficiais. Ele serve para geração de séries históricas que  embasam ações e dão segurança a medidas a serem adotadas para o uso racional da água.  “O Igarn dá esse embasamento com monitoramento dia a dia, ano a ano, mês a mês. Consegue dar uma ciclo  de evolução das chuvas e  de  comportamento dos reservatórios. Até que o volume com sete anos de seca  cada reservatório do RN foi capaz de acumular”.








continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários