Cidades do RN terão reforço no Programa Mais Médicos

Publicação: 2020-09-17 00:00:00
A+ A-
O Governo Federal encerrou a terceira chamada para preenchimento de vagas do programa Mais Médicos Para o Brasil. Nesta etapa, 1.079 vagas foram disponibilizadas pelo Ministério da Saúde, das quais 986 foram confirmadas pelos Municípios e 943 foram ocupadas, 90,1% do total. Para o Rio Grande do Norte, foram disponibilizadas 7 vagas em 6 municípios, das quais apenas uma, em Apodi, ficou em aberto ao fim do processo.
Créditos: Adriano AbreuApenas uma das vagas não foi preenchida na cidade de AngicosApenas uma das vagas não foi preenchida na cidade de Angicos


De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap/RN), há um total de 306 médicos do programa atuando no Rio Grande do Norte. Para a terceira fase, foram abertas vagas nos municípios de Apodi (2 vagas), Ielmo Marinho (1 vaga), Jardim de Angicos (1 vaga), Lajes (1 vaga), São Miguel (1 vaga) e Touros (1 vaga). 

A Sesap afirmou que, entre as principais dificuldades para preencher vagas, estão: a adesão dos profissionais às condições do edital, dificuldades de adaptação à carga-horária e, também, à decisão pessoal de darem continuidade à sua qualificação, com desistências registradas após a aprovação em exames de Residências Médicas. 

De acordo com os dados disponibilizados pelo Ministério da Saúde, as regiões Norte e Nordeste foram aquelas que receberam a menor quantidade de profissionais na terceira chamada do Programa. Ao todo, dos quase mil médicos alocados, 97 foram para a região Norte do Brasil e outros 178 para a região Nordeste. Já para o Sudeste, foram enviados 237 médicos, e a região que teve a maior quantidade de profissionais alocados na terceira fase foi o Sul, com 397 médicos, com mais que o triplo da região Norte.

As chamadas fazem parte do 20º Ciclo do Programa que, até o momento, garantiu 1.954 profissionais para atuar no Mais Médicos para o Brasil. A atuação desses médicos, de acordo com o Ministério da Saúde, deverá se somar aos profissionais que já estão trabalhando por meio do Programa nos municípios, totalizando 16.729 profissionais

Revalida 2020
Encerrada a terceira chamada para o programa Mais Médicos do Brasil, o Governo Federal deu início ao processo para aplicação do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituição de Educação Superior, o Revalida. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) publicou no dia 11 de setembro o edital do Revalida 2020. As inscrições para o exame terão início no dia 21 de setembro, e seguem abertas até 2 de outubro, através do endereço revalida.inep.gov.br.

Criado em 2011, o Revalida é o exame aplicado aos médicos formados por instituições de educação superior estrangeiras, para que possam praticar Medicina no Brasil. Nessa edição, caso o candidato seja reprovado na segunda fase, ele poderá se inscrever novamente para essa etapa em uma próxima edição do exame, sem necessidade de fazer a prova teórica uma segunda vez. 

A primeira etapa das provas será aplicada nos Estados do Pará, Minas Gerais, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Paraná, Ceará, Amazonas, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Acre, Rio de Janeiro, Bahia e São Paulo. O Rio Grande do Norte não terá locais de provas. Os participantes que desejam se inscrever poderão escolher o local mais conveniente para fazer o exame. Já a segunda etapa, que consiste em uma avaliação prática, terá um edital próprio, que ainda não foi divulgado pelo INEP.

De acordo com o calendário disponibilizado pelo Instituto, o pagamento das taxas de inscrição se dará entre os dias 21 de setembro, quando começam as inscrições, até o dia 7 de outubro. A aplicação da prova foi marcada para o dia 6 de dezembro, e a divulgação do resultado final, após as provas objetivas e discursivas, deve acontecer no dia 5 de março de 2021.

Para se inscrever na prova, os profissionais formados em Medicina em instituições de Educação Superior estrangeira deverão atender alguns requisitos. É necessário que os candidatos sejam brasileiros ou estrangeiros em situação legal de residência no Brasil e que tenham o diploma da instituição em que foram formados (será necessário enviar imagens da frente e do verso do diploma na hora da inscrição). Para a prova, não são consideradas declarações de conclusão de curso ou documentos que não sejam, especificamente, o diploma de graduação. Sem o Revalida, médicos formados no exterior são proibidos de exercer Medicina legalmente no Brasil.