Cinco açudes já sangraram no interior

Publicação: 2019-04-02 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
No interior, quando os reservatórios superficiais chegam ao volume de 100% de sua capacidade máxima, o termo usado é sangramento. Cinco açudes já sangraram: Beldroega, Pataxó, Encanto, Riacho da Cruz II e o Pepeta, no município de Campo Grande. Este último, teve vídeo publicado na conta do Twitter do Instituto de Gestão das Águas do Estado do Rio Grande do Norte (Igarn), enviado por uma cinegrafista amadora.  

De acordo com o Igarn, muitos reservatórios já “tomaram” água e o nível chega a mais de 70% da capacidade. Na Bacia Apodi/Mossoró, composta por 20 reservatórios, dois estão com 100% do volume (Riacho da Cruz II no município de Riacho da Cruz), e mais seis estão acima dos 50%.

Na Bacia Piranhas/Assu, com dezoito reservatórios, estão com volume de 100%, os açudes Beldroega, em Paraú, e Pataxó, em Ipanguassu. Mendubim, em Assu, está com 93,09% de sua capacidade. Essa bacia depende também de águas da Paraíba.  

Pelo monitoramento do Igarn, oito reservatórios, 17,02% do total, ainda estão em volume morto, e seis (12,76%) permanecem secos. No dia 1º de abril de 2018, havia 17 açudes em volume morto, 36,17% do total. Na mesma data eram 10 secos (21,27%).

A barragem Armando Ribeiro Gonçalves, em Assu, maior reservatório de água do Estado com capacidade para 2,4 bilhões de metros cúbicos de água, acumulava até ontem 551,616 milhões de metros cúbicos, ou 22,98% de sua capacidade. Na mesma data do ano passava estava com um volume de 282,267 milhões, ou apenas 11,76% do total o que a colocava em situação de volume morto.

O segundo reservatório do RN, a barragem de Santa Cruz do Apodi, com capacidade para 599,712 milhões de metros cúbicos tem atualmente pouco mais de 138.248 milhões de metros cúbicos, equivalente a 23,05% do volume máximo que pode acumular. Muito acima dos 87.055 milhões de metros cúbicos que equivaliam a 14,52% de sua capacidade.

No ano passado, Umari, no município de Upanema, com capacidade para 292,813 milhões de metros cúbicos tem volume atual de 108,649 milhões de metros cúbicos ou 37,11% de sua capacidade. Hoje está com um volume quase três vezes maior (12,52%) que em 2018 que era de 36,674 metros cúbicos.

As chuvas ainda não conseguiram chegar aos reservatórios de Itans, em Caicó, com 1,67% de sua capacidade; Zangalheiras, em Jardim do Seridó, com 1,14%; e Pau dos Ferros, com 1,94%, considerados com baixos volumes.

Entre os açudes secos estão um dos mais conhecidos do Rio Grande do Norte, o Gargalheiras, nome popular do Marechal Dutra, em Acarí; Dourado, em Currais Novos; e Santana, em Rafael Fernandes.

*Matéria atualizada às 9h15 desta terça-feira, 2 de abril










continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários